Navegue por

Poços Através de suas Fontes

 A historia de Poços de Caldas está intimamente associada as suas fontes de águas no passado chamadas de Medicinais, hidro-termais, termo-sulfurosas e outras classificações e denominação que fizeram o sucesso da cidade antes dos remédios sintéticos e antibióticos, e que com a chegada de Dr. Pedro Sanches de Lemos ao lugarejo, se buscou estudar e dar um uso mais metódico e científico.

Fontes Sinhazinha e Dona Amélia ricas em águas medicinais

Tão importante eram tais fontes que a próprio aparecimento da cidade tem seu início ao redor de da sua principal fonte e o nome está literalmente associado á nascente de água. No passado se cogitou que o nome da localidade fosse Hidrotermópolis.

Hoje, ao chegar em cada uma das principais fontes da cidade buscamos de uma forma circular olhar a nossa volta para entender o quanto de historia circunda cada uma de tais localidades.

Fonte Praça dos Macacos

Quem passa na Praça Dom Pedro Segundo a também chamada praça dos Macacos, pois relatos antigos registram que o local era frequentado no passado por muitos símios, vai encontrar a mais famosa  nascente de Poços de Caldas. Foi tal fontes com características especiais de ter uma água nascendo a uma temperatura acima de 45 graus centigrados, vindo das profundezas trazendo em sua composição bastante enxofre, dentro outros sais. Foi em tais imediações que pouco depois do ano de 1700, que se registrou pela primeira vez a existência de uns “olhos D’água com um cheiro “esquisito” e que mais tarde se descobriu ter poderes de cura. A captura, ou aprisionamento das águas foi também uma aventura, um capitulo a parte pois ninguém sabia como fazê-lo. Até que um simples mestre de obras, Antônio Alves, que havia visto semelhante trabalho em Portugal resolveu o problema e salvou a empresa para a qual trabalhava, da falência pela quebra de contrato.

O primeiro prédio importante para o termalismo, visto da fonte, é o Balneário Dr. Mário Mourão, numa justa homenagem ao grande médico do passado. Antes de se ter um estabelecimento confortável para banhos as pessoas que procuravam tratamentos através das águas medicinais, primeiro se atolavam no barro.

Entravam no próprio lamaçal formado pelas águas, depois se construíram caixas de madeira que serviam de banheiras, mais tarde se fez um grande rancho de madeira, coberto por folhas de Sapê, para que os banhistas não ficassem expostos as intempéries da natureza e só em 1886 se inaugurou um verdadeiro balneário com banheiras e verdadeiro conforto. O prédio fazia parte de um conjunto arquitetônico do centro da cidade, assinado pelo histórico arquiteto João Batista Pancinni. A inauguração oficial do balneário se  com a presença do imperador Dom Pedro II, em outubro de 1886.

Fonte Pedro Botelho ou do Leãozinho que atualmente está desativada

Tal estabelecimento foi demolido em 1974 dando lugar ao atual prédio com ideias de modernidade mas, muito questionado depois de pronto.

O Balneário possui 20 boxes com banheiras individuais atendendo as pessoas que procuram relaxamento com águas sedativas e descongestionantes, cicatrizantes, antialérgicas e expectorantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *