Navegue por

Não me arrependo de ter matado, disse o acusado de homicídio após ser preso

O acusado de ter matado o motorista Wesley Antônio dos Reis de 35 anos, Claudinei Paulo dos Santos foi apresentado na manhã desta segunda-feira, 9, pela Polícia Civil de Poços de Caldas.

Acusado disse que iria se entregar a polícia – Foto Poçoscom.com/Roni Bispo

Durante a entrevista coletiva Dos Santos disse não se arrepender de ter matado o motorista, mas se arrependeu de ter tentado matar a ex-namorada e esposa de Wesley, Joice Cristina dos Reis de 33 anos. ” Um de nós ia morrer. Ou eu ou ele. Eu não me arrependo de ter matado, mas me arrependo de ter atirado na Joice. Minha intenção era de matar só o Wesley.” Disse o pintor friamente.

Claudinei negou que o motivo do crime teria sido por ciúmes e sim como uma tentativa de se defender das constantes ameaças que vinha sofrendo do motorista após Joice ter terminado o relacionamento com o pintor e voltado para o esposo. Além das ameaças, Wesley ainda teria ofendido a honra da mãe de Claudinei. Ofensa esta que teria sido o estopim para um ataque de fúria na noite daquele domingo, dia 1º de outubro, em que o acusado descarregou um revolver calibre 38 no motorista e ainda esfaqueou a vítima várias vezes no rosto, braços e nas costas. O crime aconteceu na casa do casal no Jardim Ipê. De acordo com a polícia ao todo foram 9 disparos.

Ainda segundo o acusado, ele não tinha intenção de matar a ex-namorada com quem se relacionou por dois anos e muito menos as crianças com quem convivia e fazia de tudo por elas enquanto o casal esteve junto.

De acordo com Claudinei, Joice teria entrado na frente dele para que parasse de atirar no marido e negou que teria dito que se a diarista não ficasse com ele não ficaria com mais ninguém.” Isso não é verdade e também não é verdade que eu queria matar as crianças. Eu estava dentro da casa deles, se eu quisesse realmente matar as crianças tinha feito, não teria dificuldade nenhuma, mas criança não sabe se defender e eu não faria isso.” Justificou Claudinei.

Revólver e a faca usados no homicídio – Foto Poçoscom.com/Roni Bispo

O pintor foi preso na tarde da última quinta-feira, 5, na zona rural Ataleia na divisa de Minas Gerais com Ecoporanga o Espírito Santo, a 1.000 quilômetros de Poços de Caldas. Ele estava escondido na casa de parentes e desde que fugiu, seus passos vinham sendo monitorados pelas Polícias Civil e Militar de Poços de Caldas.

De acordo com o delegado da 3ª Draco – Delegacia de Repressão e Combate ao Crime Organizado, Cleysson Brenne, no momento em que a Justiça concedeu o pedido de prisão do pintor, a PM do Espírito Santo que fazia vigia no local avisou de uma movimentação suspeita de Claudinei e entendendo que ele poderia fugir, foi dada a ordem de prisão.

Polícia Civil e PM monitoravam o acusado desde a noite do crime – Foto Poçoscom.com/Roni Bispo

No local foram apreendidos a arma ainda com uma munição e a faca usada no crime, além da roupa que o pintor vestia no dia do crime. Claudinei disse que a intenção era ficar escondido por uns dias na casa dos familiares e depois que as coisas se acalmassem ele voltaria a Poços para se entregar.

Claudinei não tem passagem pela polícia, apenas uma denúncia de ameaça a uma ex-namorada. Se condenado pode pegar de 12 a 20 anos de cadeia pelo homicídio, mas segundo o delegado pena que deve ser agravada por porte ilegal de arma e ainda tentativa de homicídio contra a diarista que se enquadra em crime de feminicídio.

A diarista Joice Cristina dos Reis, atingida por três tiros permanece internada na Santa Casa de Poços de Caldas, segundo uma das sobrinhas o quadro evolui positivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *