Navegue por

131 anos do Trem da Mogiana: UMA HISTÓRIA FORA DOS TRILHOS

ROBERTO TEREZIANO

Em 22 de outubro de 1886 a cidade estava em festa com a chegada oficial da ferrovia da Mogiana, mas tal realização tem outras justificativas para ter sido aprovada pelo império brasileiro de forma tão rápida quando o lugarejo tinha apenas 200 casas e pelo trem não ter ido para Caldas que era a cidade, mas sim para uma vila chamada Nossa Senhora da Saúde das Águas de Caldas.

Em uma longa entrevista que fizemos a dezenas de anos com o saudoso Ireno Teixeira, netos de um condutor de um cochê pertencente a frota do Barão do Campo Místico, de nome Eugenio Xandó, (Eugenio Lambe-beiço) ele nos contava um episódio bastante esclarecedor:
“Muito antes da histórica vinda de Dom Pedro ao lugarejo uma sobrinha do imperador já havia se tratado com as águas do local”.

A chegada dela a Poços de Caldas teria sido bastante difícil, pois tudo era feito em carros-de bois ou lombos de cavalos. Condições precárias para uma pessoa enferma e sem possibilidade física de locomoção.

Os médicos do império, depois de várias tentativas médicas sem sucesso, recomendaram as águas de Poços de Caldas. Assim, emissários do imperador vieram a Poços de Caldas e contrataram um coche, com os melhores cavalos para a etapa final da viagem que levava meses até nossa cidade.

A escolha recaiu aos veículos de Antônio Teixeira Diniz, mais tarde, nomeado barão do Campo Místico e, sobre o condutor do veículo Eugênio, que também foi agraciado pelo imperador com uma boa soma em dinheiro pelo carinho com que tratou a sobrinha doente, que voltou á capital do império completamente curada. A indicação feita pelos médicos foi logo aceita pelo imperador que já conhecia a fama das águas de Poços de Caldas uma vez que Dom Pedro estivera pessoalmente, na formatura de Dr. Pedro Sanches de Lemos em 1871, no Rio de Janeiro e passou a acompanhar a trajetória do jovem médico que se mudara para Poços de Caldas. Quando surgiu a companhia da Mogiana em 1872, ano da fundação oficial de Poços de Caldas, o imperador sabendo da importância das águas termo-medicinais e da dificuldade que era chegar até Poços de Caldas em lobos de cavalos, viagem que às vezes se estendia por dezenas de dias ou até mês, não teve dúvida em aprovar o pedido para que a ferrovia, chamada Ramal de Caldas, chegasse até nossa cidade, o que se efetivou em 22 de outubro de 1886, quando durante três dias, Poços de Caldas se tornou Capital do Império Brasileiro. (Continua amanhã)

One thought on “131 anos do Trem da Mogiana: UMA HISTÓRIA FORA DOS TRILHOS”

  1. Rildo goncalves says:

    História sobre Pocos sempre importante ser atualizadas . Sempre estou conhecendo mais. Valeu pelas informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *