Navegue por

Trabalho da perícia foi fundamental para prisão do principal suspeito de ter matado Kajany

A Polícia Civil de Poços de Caldas reuniu a imprensa na tarde desta quarta-feira, 6, para esclarecer como foi a investigação que resultou na prisão de Kajany Gabriel de Paula dos Santos, de 27 anos, principal suspeito de ter matado o próprio pai, o professor Kajany, encontrado morto dentro de casa com requintes de crueldade.

Técnica inovadora ajudou a polícia a confirmar autoria do crime – foto Poçoscom.com/Roni Bispo

A partir da impressão da sola do pé do suspeito, técnica inovadora usada pela perícia e parecida com a impressão digital, o perito criminal, Maurício Gonçalves dos Santos, pode comparar as pegadas encontradas na cena do crime com as do suspeito.

A coleta aconteceu no mesmo dia do crime, sábado dia 2, depois que o suspeito foi detido pela PM ouvido e em seguida também foi ouvido pela Polícia Civil durante as diligências.

Após a coleta da impressão, a perícia passou praticamente a tarde toda no imóvel trabalhando com as provas coletadas e comparando as pegadas de sangue com a impressão da sola do pé do suspeito. De acordo com o delegado, no dia do crime, o filho da vítima não ficou preso, pois não havia prova da autoria dele no homicídio. Mesmo com relato de familiares informando que o suspeito havia chegado da casa do pai na tarde de sexta-feira, 2, com a roupa aparentemente suja de sangue e apresentando sinais de surto psicológico.

Concluído o trabalho, a Polícia Civil chegou a conclusão de que Kajany Gabriel de Paula dos Santos tinha sido a única pessoa na cena do crime. Cena que chocou os policiais ao encontrar o corpo da vítima com várias perfurações, um corte profundo no pescoço, quando houve a tentativa de esgorjamento, que seria o ato de arrancar a cabeça da vítima que também teve os testículos arrancados.

Segundo a Polícia Civil, o fato do imóvel ter sido invadido por dois homens para furtar objetos da vítima no domingo, um dia depois do homicídio, não interferiu na conclusão das investigações, pois todo o trabalho havia sido concluído no sábado.

O suspeito foi preso na tarde de terça-feira, 5, no Hospital Santa Lúcia, onde estava internado, porém não confessou o crime e tão pouco o motivo que levou a matar o próprio pai.

Kajany Gabriel de Paula dos Santos teve a prisão preventiva decretada e se encontra no presídio local desde a noite de terça-feira, 5. A Polícia Civil deve solicitar a realização de um laudo que comprove a esquizofrenia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *