Browse By

“Antes que esfrie” é apresentado em Belo Horizonte

 

O espetáculo “Antes que esfrie”, com Gabriel Sá, será visto pela primeira vez em Belo Horizonte, neste domingo, dia 24 de junho, dentro da programação no Festival (Em) Processo 2018 – 3ª Edição Coletividade. A peça, que estreou em Poços de Caldas, será apresentada no Teatro de bolso SESIMINAS, em duas sessões para entidades e casas de repouso e para o público em geral.

Cena Antes que Esfrie – foto Tolentino Ferraz

Aos olhos atentos dos expectadores, pequenos segredos são revelados através de sorrisos no canto da boca, olhos marejados e inquietudes guardadas no coração de todos que amaram. A história de Glória, protagonista da peça “Antes que esfrie”, enche a vida de esperança, ao falar de velhice, tempo, solidão e morte.

 “Antes que esfrie” é um monólogo encenado em linguagem do teatro de bonecos, com texto escrito por Gabriel Sá e Tolentino Ferraz, que também é responsável pela direção. A atriz Marli Marques faz a interpretação da voz da personagem e a produção é assinada por Bibi Rodriguez.

O café, bebida essencial para a Glória, faz o papel de elemento narrativo. Seu preparo evoca sentimentos e reflexões acerca da condição humana e da passagem do tempo. Apesar de ter uma idade avançada, Glória se mostra espirituosa ao lidar com os seus fantasmas. Sua força se revela no olhar de quem viveu muito e tem muitas histórias guardadas.

A ausência de familiares, não a impede de se relacionar com a plateia como sua própria família, em momentos descontraídos e cômicos. Essa relação personagem e público tende a se tornar mais próxima no desenrolar do espetáculo, resgatando o aspecto transformador do teatro.

Sobre o Festival (Em) Processo 2018

O Festival (Em) Processo, em sua terceira edição, pretende trazer um olhar sobre as coletividades e movimentos artísticos de Belo Horizonte, e sobre o artista que se reconhece como parte de um corpo coletivo que deve ter voz, na formação do real entendimento de práticas que viabilizem seus modos de criação, resistência e manutenção de atividades através de encontros de temáticas, vontades e potências.

Se nas duas primeiras edições do Festival foram dados os primeiros passos para a ocupação do espaço, a ideia agora é ampliá-la e consolidá-la como um convite e abertura a criações, intervenções e suas potencialidades.

Integram a programação movimentos e coletivos que se interessaram em propor intervenções, apresentações em diversas linguagens, oficinas e workshops voltados ao grande público e aos próprios artistas. O festival acontece de 18 a 30 de junho, no Teatro de Bolso SESIMINAS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *