Browse By

Cláusula do Acordo Coletivo é descumprida e servidores não recebem horas extras, diz Sindserv

A diretoria do Sindserv – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, tornou público nesta quarta-feira, 16, o descumprimento, por parte da Administração, da Cláusula 32 do Acordo Coletivo 2018/2019 que visa trata sobre o divisor de horas extras.

Diretoria do Sindserv tentou se reunir com o prefeito na terça-feira

Segundo a presidente do Sindserv, Marieta Carneiro, há 15 dias os servidores comunicaram a unidade sindical que não foi feito o pagamento das horas extras com o divisor 150 para quem cumpre jornada de trabalho de 6 horas por dia. “Os servidores foram pegos de surpresa ao receber o pagamento e constataram o prejuízo para categoria com a retirada da Cláusula 32”, disse a presidente.

Marieta Carneiro informou ainda que no mês passado com o descumprimento da Cláusula 32, o servidor recebeu as horas extras com o divisor 180 para quem faz 6 horas, 210 para quem faz 8 horas e 220 para quem faz 12×36.

De acordo com a presidente do sindicato, a secretária de Administração, Ana Alice de Souza, que o chefe do Executivo, Sérgio Azevedo, pediu para que fosse retirada a cláusula conquistada há anos pela categoria e que faz parte do Acordo Coletivo em vigência, assinado pelo prefeito. “Nós negociamos com a administração desde o início do ano e fizemos várias assembleias na Urca junto com a categoria. Passamos por todos os trâmites legais. E por fim nós sentamos com a equipe do prefeito e fechamos o Acordo Coletivo e pra nossa surpresa a Cláusula 32 não está sendo cumprida,” indaga a presidente.

Na terça-feira, 15,  a diretoria do Sindserv tentou se reunir com o chefe do Executivo para tentar chegar a um acordo, mas foi recebida pela secretária de Administração e pelo o Procurador do Município, Fábio Camargo. Diante da negativa, Marieta disse que vai convocar os servidores para mais uma assembleia e decidir juntos o que fazer diante do descumprimento de uma das cláusulas do Acordo já aprovado e assinado. “Vamos ter que realizar uma assembleia para que os servidores tenham ciência desta falta de responsabilidade e de compromisso com a categoria. Classificamos isso como gravíssimo, uma falta de respeito com a entidade sindical e principalmente com os servidores porque isso não é papel de um gestor”, desabafou a presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *