Browse By

Estiagem: Vazão de água para abastecimento cai 40% e deixa DMAE em alerta

A forte estiagem e a irrigação de lavouras de forma irregular por produtores rurais podem ser a causa da redução da vazão de água na Estação de tratamento- ETA 1 do DMAE em Poços de Caldas.

Queda da vazão pode estar relacionada a estiagem e a irrigação irregular

A queda de 40% na vazão deixou o Departamento Municipal de Água e Esgoto em alerta, pois a ETA 1 é responsável pelo abastecimento de mais de 34 bairros da cidade atingindo uma população de aproximadamente 70 mil habitantes, além de empresas, escolas e hospitais.

De acordo com o DMAE a vazão normal da ETA 1 nesta época do ano é de 187 litros por segundo. Contudo, nos últimos dias, a vazão chegou a 118 litros por segundo.

Segundo o diretor do DMAE, Antônio Roberto Menezes, são diversas as causas para esta queda de vazão.“ A falta de chuva, a evaporação natural e a própria absorção da água pelo solo contribuem muito para esta queda e quanto a isto só nos resta torcer para que a chuva não demore a chegar. Outra causa é relativa à utilização de água de forma ilegal, como a denúncia que recebemos de que produtores rurais próximos às nascentes de captação de água pelo DMAE estariam utilizando a água muito acima do permitido pela outorga. Isto nos preocupa e chamamos a atenção das autoridades ambientais para que fiscalizem esta situação. Nós não somos contra os produtores, mas esperamos deles a consciência ambiental. Este momento de falta de chuvas exige de cada cidadão o uso racional da água” afirmou Menezes.

Rodízio no abastecimento

Apesar de ser considerada uma situação crítica e preocupante, o diretor do DMAE ressalta que por enquanto não pensa em fazer um esquema de rodízio como já acontece em algumas cidades da região, porém esta possibilidade não foi totalmente descartada, caso a estiagem persista.  “Por enquanto, temos a situação sob controle, o que não tira a possibilidade de, se não chover nos próximos dez dias, ter que tomar medidas para evitar a falta de abastecimento” finalizou o diretor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *