Browse By

Kajany aguarda por vaga em hospital psiquiátrico para ser transferido

Preso desde o dia 5 deste mês, Kajany Gabriel de Paula Santos, de 27 anos, acusado de ter matado o próprio pai, o professor Kajany Moreira dos Santos, de 59 anos, aguarda por uma vaga em um hospital psiquiátrico de Minas Gerais para ser internado.

Kajany está preso desde o dia 5 de dezembro

De acordo com o advogado de defesa de Kajany, Wanderley de Mello, na última sexta-feira, dia 22, saiu o laudo médico que constatou um quadro psicótico em seu cliente. Segundo o advogado criminalista, Kajany teve um surto de esquizofrenia.

Por esta razão a defesa havia solicitado a internação do suspeito alegando que o jovem apresenta problemas mentais e é portador de esquizofrenia.

No último dia 11, o juiz responsável pelo caso, designou uma psiquiatra para elaborar um laudo sobre a saúde mental do suspeito. Na ocasião o juiz também determinou que a Secretaria Municipal de Saúde providenciasse uma vaga em uma clínica psiquiátrica para Kajany no prazo de 24 horas.

Pela decisão, o acusado deveria ser internado imediatamente em razão da própria segurança e dos detentos que cumprem pena na mesma cela que Kajany.

Mesmo preso e com trabalho da perícia que constatou que Kajany seria a única pessoa presente na cena do crime, até o momento suspeito não confessou ter matado o pai.

A prisão

A Polícia Civil chegou a conclusão de que Kajany Gabriel de Paula dos Santos tinha sido a única pessoa na cena do crime.

Cena que chocou os policiais ao encontrar o corpo da vítima com várias perfurações, um corte profundo no pescoço, quando houve a tentativa de esgorjamento, que seria o ato de arrancar a cabeça da vítima que também teve os testículos arrancados.

Segundo a Polícia Civil, o fato do imóvel ter sido invadido por dois homens para furtar objetos da vítima no domingo, um dia depois do homicídio, não interferiu na conclusão das investigações, pois todo o trabalho havia sido concluído no sábado.

A partir da impressão da sola do pé do suspeito, técnica inovadora usada pela perícia e parecida com a impressão digital, o perito criminal, Maurício Gonçalves dos Santos, pode comparar as pegadas encontradas na cena do crime com as do suspeito.

O suspeito foi preso na tarde de terça-feira, 5, no Hospital Santa Lúcia, onde estava internado, porém não confessou o crime e tão pouco o motivo que levou a matar o próprio pai.

O homicídio

Kajany foi encontrado morto com corte profundo no pescoço na manhã de sábado, 2, por uma equipe do SAMU que havia ido à casa do professor cumprir uma internação compulsória contra a própria vítima, uma vez que ela sofria de problemas mentais. O corpo do professor foi encontrado com várias perfurações.

A vítima foi morta com requintes de crueldade. Os testículos foram arrancados e deixados em um banco da cozinha onde o corpo foi encontrado.

Apesar dos problemas mentais, o professor de educação física era muito querido na cidade. A morte dele causou comoção popular.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *