Browse By

Secretaria de Educação registra 21 invasões em creches ao longo do ano

O número de invasões ocorridas em creches no município durante 2017 preocupa e assusta. De acordo com o levantamento da Secretaria Municipal de Educação foram registradas 21 ocorrências nos Centros de Educação Infantil

O caso mais grave deste ano foi a invasão do CEI Maria do Rosário quando os vândalos atearam fogo na cama elástica

Na maioria dos casos os invasores ou vândalos entraram nas unidades depois de arrombar cadeados, quebrar vidros, deslocar telhas, arrancar grades e arrebentar portas.

O prejuízo não pára por ai. Na maioria das invasões além dos danos nas portas e janelas, os vândalos também levaram equipamentos de grande utilidade para o funcionamento e elaboração e atividades nas unidades infantis.

Os invasores tinham como alvo aparelhos de TV´s,  DVD´s, computadores, aparelhos de som, botijão de gás, produtos de limpeza e principalmente alimentos, como bolachas e carnes.

O CEI Cascatinha foi o que mais registrou invasões ao longo do ano, 5 ao todo

A maioria das invasões ocorreram nos finais de semana e durante os feriados prolongados. Das 21 registradas ao longo do ano,  8 delas ocorreram no mês de outubro. O CEI do Cascatinha foi alvo de vandalismo 5 vezes este ano.

No feriado de Natal o CEI Beija Flor teve uma TV furtada por um homem conhecido como Canarinho

Só esta semana outros 3 CEIS foram invadidos por vândalos, as unidades Beija Flor no Maria Imaculada,  Catavento no Jardim Kennedy e o Santa Terezinha no Conjunto Habitacional. Neste último além dos vândalos danificarem a porta da entrada do CEI, os invasores levaram todo estoque de carne, cerca de 45 quilos, reservados para o consumo ao longo desta semana. Em alguns casos, nem a presença de câmeras de segurança e alarme inibe a ação dos vândalos.

De acordo com a coordenadora da Divisão de Administração da Secretaria Municipal de Educação, Daniela Azevedo Volpi Braz, já foi solicitado a Secretaria de Defesa  Social mais intensificação nas rondas por parte da Guarda Municipal, principalmente nas unidades onde as invasões têm ocorrido com maior frequência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *