Browse By

Suposta irregularidade em concurso é denunciada pelo Sind-UTE

A circulação, em redes sociais, de uma suposta foto de um dos cadernos da prova do concurso da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais, deste domingo, 8, fez com que representantes do Sind-UTE (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação) denunciasse o vazamento da prova .

A foto de um dos gabaritos de um candidato de Pará de Minas foi compartilhada nas redes sociais – foto redes sociais

A foto teria sido tirada depois que o início da prova, previsto para às 8h da manhã, foi adiado para às 9h. Os candidatos que já estavam nas salas onde a prova foi aplicada tiveram de esperar por uma hora. Alguns candidatos já tinham recebido o caderno de provas.

Milhares de pessoas em todo estado concorreram a uma das 16 mil vagas para o cargo de professor de educação básica e 700 vagas para especialista em educação básica. Alguns cargos chegaram a ter mais de 100 candidatos por vaga.

Em Poços de Caldas, os candidatos da região que prestaram o concurso nas escolas estaduais estranharam o atraso de uma hora em relação ao anunciado em edital.

Organização vai apurar se candidatos tiveram acesso aos celulares – foto redes sociais

O caso deve ser apurado, uma vez que, antes de entrarem no local de aplicação de prova, os candidatos são obrigados a desligar e guardar o celular em envelopes plásticos com adesivo autocolante no lacre e orientados a abrir o envelope somente após a saída do recinto.

A Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc), responsável pela realização do concurso, divulgou uma nota de esclarecimento informando que o atraso de 60 minutos para o início das provas foi causado por um problema de logística.

O material de apoio aos fiscais, com a lista de presença dos candidatos, que seria destinado a quatro escolas de Belo Horizonte, foi embarcado em veículo da Fumarc com outra rota de distribuição. Com isso, o veículo da Fumarc teve que retornar ao ponto de origem para a destinação correta do material de apoio.

Para garantir aos candidatos as mesmas condições na realização das provas, o início do concurso, em todas as regiões, só ocorreu quando as quatro escolas receberam o material de apoio.

Também com o objetivo de respeitar o intervalo entre as provas da manhã e tarde, considerando que muitos candidatos participariam dos dois concursos, o início das provas, neste segundo turno, também foi prolongado.

A nota diz ainda que a Fumarc, com 40 anos de experiência na realização de concursos públicos e privados, está apurando os fatos envolvendo este certame.

Por enquanto, não há informação sobre uma possível anulação das provas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *