Browse By

Servidores municipais propõem paralisação por melhoria salarial

A decisão foi tomada durante a assembleia geral realizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Sindserv na última quarta-feira, 28, na Urca.

Servidores farão um dia de paralisação e vão usar preto em sinal de luto, assim como servidores das UBS

Durante o encontro, os servidores optaram pela realização de um dia de paralisação e ato de manifestação durante próxima reunião entre diretoria do Sindicato e administração municipal. Além disso, unidades da prefeitura deverão aderir ao movimento de luto, com servidores usando roupas pretas e faixas estendidas com frases de efeito, assim como ocorreu nas 34 UBS no último dia 17, em que os servidores da Estratégia de Saúde da Família encontraram para chamar atenção da administração e protestar contra a desvalorização profissional.

Um dos motivos da paralisação foi a negativa da administração em aprovar as propostas dos servidores relacionadas ao Acordo Coletivo 2018/2019.

Durante as negociações entre o Executivo e a diretoria do Sindserv, o prefeito Sérgio Azevedo havia rejeitado anteriormente o reajuste salarial de 3,5% oferecido pela administração. Agora, a categoria vai pleitear 10%: 2,97% de reposição da inflação e 7,03% de ganho real.

Outro impasse é relativo ao vale-alimentação, atualmente em R$ 450. A prefeitura ofereceu R$ 465, mas a categoria espera que o valor chegue a R$ 500, diante de nova proposta votada pelos servidores na assembleia. O valor pleiteado pelos servidores anteriormente era de R$ 600.

Durante as negociações o Executivo havia negado 29 das 42 cláusulas do Acordo Coletivo. Entre as que foram aprovadas está uma que estabelece que qualquer rescisão de contrato superior a doze meses deverá ser homologada no Sindicato; outra garante licença remunerada para o servidor cursar mestrado ou doutorado. A partir da assinatura do Acordo, todo e qualquer direito referente a servidor público municipal, independente de sua remuneração e grau de formação, será negociado pelo Sindicato.

Outras conquistas foram a criação do plano de cargos e salários para os agentes de endemias e agentes comunitários de saúde; e a criação do SESMT – Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Além disso, será ampliada a carga horária dos instrutores de banda de vinte horas semanais para quarenta horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *