Browse By

Violeiro Zé Helder abre o Composição Ferroviária deste domingo

 

Para comemorar a recente reconhecimento da viola como patrimônio imaterial de Minas Gerais, o Composição Ferroviária traz neste domingo (1º de Julho), show com o violeiro Zé Helder, às 10h na Antiga Estação Mogyana de Poços de Caldas. A entrada é de graça

Violeiro do Sul de Minas faz a abertura do Composição Ferroviária – foto divulgação

Natural de Cachoeira de Minas, a trajetória musical do violeiro começa na infância, tendo lições com o maestro da banda do coreto. Passou por diversos instrumentos musicais até chegar na viola e não querer mais outro. Graduou-se em música, é professor de viola e escreve um livro didático onde reúne as experiências que colecionou com o instrumeto. Também, como reza a tradição, teve uma banda de rock, onde atuava como baixista – experiência que o levou mais recentemente à Moda de Rock – movimento que criou junto com o parceiro de viola, Ricardo Vagnini. “A gente se juntou pra tocar e adaptar clássicos do rock para a viola caipira. A ideia inicial era mostrar o potencial da viola para nossos alunos e também reviver a trilha sonora da nossa adolescência”, conta Zé Helder. O fato é que o CD Moda de Rock se tornou um sucesso de mídia, vendas e de shows realizados em todas as regiões do Brasil, na Argentina e nos EUA. No espírito da viola caipira, In the Flesh do Pink Floyd se tornou uma singela valsinha; Aces High, do Iron Maiden e Master of Puppets, do Metallica ganharam uma levada de pagode de viola. No show de domingo apresenta canções de seus três CDs-solo que trazem forte influência da música caipira, mas também do rock-progressivo, das serestas e dos antigos cantores do rádio além de experiências registradas no Moda de Rock. O músico será acompanhado pelo baixista Guilherme Cordeiro.

“Estamos muito contentes pela notícia do reconhecimento da viola e dos violeiros do nosso Estado. Isto merece muita comemoração, pois abre novas possibilidades de construção de políticas públicas de salvaguarda e valorização dos saberes e expressões culturais relacionadas à viola que está intimamente ligada às tradições mineiras”, afirma o artista sobre o reconhecimento a viola como patrimônio imaterial do estado, oficializado no último dia 14 pelo Conselho Estadual do Patrimônio Cultural (Conep).

O show abre o evento que terá também a apresentação dos belorizontinos Renato Motha e Patrícia Lobato, apresentando canções de seus 14 álbuns (3 duplos) e 2 DVDs lançados em palcos do Brasil e do exterior. O duo transita com fluência e originalidade por diversos gêneros, da canção brasileira aos kirtans indianos, valorizando e universalizando por meio deles os sons de Minas e do Brasil. Dentre suas canções, destaca-se Menina da lua, gravada por Maria Rita em seu álbum de estreia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *