31% dos roubos cometidos em Poços são praticados por menores

A triste e preocupante constatação foi uma das estatísticas apresentadas pelo delegado regional de Poços de Caldas, Sérgio Elias Dias, durante a Audiência Pública sobre Segurança Pública realizada na noite desta quarta-feira, 26, na Câmara Municipal.

Tema foi debatido por quase 4 horas

Ainda segundo o delegado regional, entre os menores envolvidos em roubos na cidade, três deles, sendo que um se trata de uma menina, já têm mais de 30 passagens pela polícia cada um.  A sensação de impunidade tem motivado a prática de crimes, pois sem um local adequado para a internação de menores infratores, como centro socioeducativo, no máximo 5 dias após a apreensão eles são soltos novamente.

Por quase 4 horas representantes da Polícia Civil, Polícia Militar, de instituições ligadas à segurança e vereadores debateram sobre o tema visando buscar mecanismos para combater a violência na cidade, aumentar a segurança e diminuir as ocorrências policiais.

Durante o encontro tanto PM quanto a Polícia Civil apresentaram números sobre a criminalidade na cidade e também ações que resultaram em prisões de criminosos, como o caso dos dois assaltantes presos no fim de semana e que praticavam crimes contra postos de combustíveis e no comércio. E também a implantação do programa “Comando no Bairro” da Polícia Militar, em que toda quinta-feira o próprio comandante do 29º Batalhão da PM, tenente coronel Sandro Oliveira, vai a um bairro diferente para ouvir a comunidade.

Apesar das ações positivas a incidência de crimes como furtos e assaltos, principalmente ao comércio tem gerado uma sensação de insegurança, sendo este o motivo da realização da audiência pública, requerida pelo presidente da Câmara,  o vereador Antônio Carlos Pereira.

Além de críticas e cobranças à PM, como por exemplo, o aumento do efetivo que hoje é de apenas 120 militares. A situação do presídio voltou a ser discutida, bem como a situação dos detentos, o aumento do número de usuários de drogas pelas ruas, que além de ser um caso de saúde pública também contribui para o aumento de furtos.

Além de cobranças, os participantes também apresentaram propostas para melhorar a segurança na cidade

Propostas como a criação de um Conselho Municipal de Segurança Pública, praticamente nos moldes do Gabinete de Gestão Integrada Municipal, criado na gestão passada, porém com a participação da sociedade civil.

E ainda o retorno do monitoramento por câmeras no centro da cidade, processo que segundo o secretário de Defesa Social, Marcos Tadeu Salla Sansão, está sendo estudado, inclusive com visitas a outros municípios que já implantaram o serviço para avaliar o sistema para que possa ser implantado também em Poços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.