Boato sobre massacre no Colégio Municipal causa pânico na comunidade escolar

Um boato de que um massacre seria realizado na manhã desta segunda-feira, 27, no Colégio Municipal Dr. José Vargas de Souza, em Poços de Caldas, causou pânico entre os pais, principalmente na noite deste domingo, depois que mensagens sobre o assunto viralizaram nas redes sociais. Com medo, apenas 20% dos alunos do período da manhã foram à aula hoje.

PM e GM fazem a segurança na escola – foto Poçoscom.com/Roni Bispo

De acordo com o comandante do 1º Pelotão do 29º Batalhão de Polícia Militar, Samuel Ferreira Mendes, desde ontem a agência de inteligência da PM vem monitorando as redes sociais na tentativa de identificar a origem dos boatos. “Desde ontem à noite já tínhamos a ciência de quem lançou estes boatos nas redes sociais, passamos a monitorar a família para verificar a veracidade dos fatos e ficou constatado que não passava de boato, porém tudo ainda está sendo investigado para que as providências sejam tomadas em relação ao caso”, disse o tenente.

Ao tomar conhecimento do boato, a diretora da escola, Ângela Maria de Castro Borba, foi até a instituição na noite deste domingo para localizar a documentação do aluno tido como principal suspeito das ameaças. O assunto se espalhou entre os demais estudantes e ganhou grandes proporções, assustando muitas famílias que começaram a ligar para a diretora.

Após identificar o aluno, a direção entrou em contato com os pais dele e acionou a Polícia Militar e a Secretaria Municipal de Educação. Na manhã desta segunda-feira, os 200 alunos que compareceram ao colégio foram recepcionados por equipes da PM e da Guarda Municipal.

Hoje pela manhã, os pais do aluno se reuniram com a diretora para que fossem tomadas providências sobre o caso. De acordo com a diretora, o caso foi registrado em ata e será feito um boletim de ocorrência, já que podem existir outros alunos envolvidos. Ainda segundo a diretora, a família manifestou vontade de retirar o aluno do colégio. “Pelo que apuramos tudo não passou de uma brincadeira de mau gosto, porém causou um grande transtorno, assustando a comunidade escolar. Apesar de ser uma brincadeira de mau gosto, não podemos desprezar esta conduta, os motivos desta brincadeira, a história de vida de cada um destes alunos envolvidos. Por isso, vamos chamar outros pais para conversar sobre isso e tomar todas as providências possíveis”, destacou a diretora.

Ainda de acordo com a gestora, mesmo com os pais se antecipando em dizer que o aluno sairá do colégio, o caso será analisado, de acordo com as questões legais e também para comprovar a atuação do aluno no caso. A diretora solicitou aos pais que o aluno fosse acompanhado por um psicólogo.

O Colégio Municipal tem 2.300 alunos na educação infantil, fundamental e no ensino médio. Ao longo do dia, as equipes da PM e da Guarda Civil Municipal vão permanecer na parte interna da escola para garantir a segurança. “Precisamos sim tranquilizar os pais. Independente desses comentários, os pais precisam trazer os filhos para a escola e é importante que eles tenham esta segurança. A gente quer acreditar que as pessoas amam o colégio e querem respeitar este ambiente”, finalizou a diretora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *