Causa da queda de cabine do teleférico será divulgada nesta quinta-feira

43 dias depois da queda de uma das cabines do teleférico de Poços de Caldas, a Polícia Civil  divulga nesta quinta-feira, 24, durante uma entrevista coletiva, o resultado da perícia que apurou o acidente, ocorrido no início de setembro deste ano.

Perícia esteve no local da queda da cabine após o acidente

Recentemente uma empresa especializada realizou o teste eletromagnético nos cabos de aço do teleférico. Um técnico fez uma análise das condições da estrutura do equipamento.

O trabalho de revisão preventiva, que é feito rotineiramente todos os anos, estava previsto para março de 2020, porém após o acidente com a cabine e um servidor municipal do Turismo, no dia 5 de setembro, a vistoria foi antecipada, atendendo a um pedido da Secretaria Municipal de Turismo.

Além da vistoria técnica, após o acidente a equipe da perícia da Polícia Civil esteve no local da queda e na estação do teleférico coletando dados e informações que pudessem ajudar na investigação e apontar a causa da queda. O trabalho contou ainda com a apoio de um perito de Belo Horizonte.

Desde o dia do acidente o teleférico segue interditado. O equipamento deve voltar ao funcionamento após a divulgação do laudo que aponta a causa da queda.

Já o servidor municipal que se feriu com a queda, continua afastado das atividades para recuperação. Ele sofreu uma perfuração no intestino e uma fratura na costela e foi submetido a uma cirurgia no mesmo dia.

A entrevista coletiva está prevista para às 17h30 no 18º Departamento de Polícia Civil de Poços de Caldas que fica na Rua Ouro Preto, 125 – Jardim dos Estados

O acidente

O acidente foi registrado no dia 5 de setembro  após uma forte chuva de granizo que caiu sobre a cidade, acompanhada por vento forte. A tempestade durou cerca de 40 minutos.

O auxiliar de manutenção da Secretaria Municipal de Turismo, Miguel Albano de Almeida Filho, de 59 anos, fazia a inspeção de rotina naquela tarde. Após o temporal, Miguel desceu a serra em uma  das cabines, quando já no pé da serra próximo ao perímetro urbano, o equipamento desacoplou do cabo de aço e caiu sobre o telhado de um estacionamento perto da Fonte dos Amores. Miguel foi encontrado no meio da mata a 20 metros de distância da cabine. O Corpo de Bombeiros estima que ele tenha caído de uma altura de aproximadamente 12 metros. Ele foi socorrido consciente e levado para Santa Casa.

O servidor sofreu uma perfuração no intestino e uma fratura na costela. Ele foi submetido a uma cirurgia no mesmo dia. Foram quase 4 horas de cirurgia e o auxiliar de manutenção reagiu bem e ficou internado no setor de Urgência e Emergência em observação. Depois de 12 dias de internação, Miguel recebeu alta, porém, segundo a família ele ainda não se lembrava de como aconteceu o acidente.

Um perito de Belo Horizonte veio a Poços para ajudar a equipe da Perícia Técnica local nas investigações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.