Corpo de balconista é encontrado na zona rural

A Polícia Civil de Poços de Caldas localizou no início da tarde desta quarta-feira, 14, o corpo da balconista, Deisiele de Cássia Roque, de 33 anos, desaparecida desde junho deste ano. De acordo com a Polícia, a vítima foi morta, pois tinha uma dívida de R$ 6 mil com uma facção criminosa. Duas mulheres foram presas, apontadas como responsáveis pelo homicídio. Uma delas era amiga da balconista e inventou para a família que a vítima tinha ido embora para Hortolândia, interior de São Paulo.

Vítima teria sido morta a facadas – foto Poçoscom.com

O corpo da balconista estava enterrado entre algumas árvores em uma pastagem na Serra do Selado, na zona rural de Poços de Caldas. De acordo com o delegado Cleyson Brene, responsável pela investigação, a localização do corpo só foi divulgada hoje pela principal suspeita de ter matado a vítima, Mislaine de Silva Lima, diante do advogado dela.

De acordo com o delegado, a investigação teve início depois que a família registrou o suposto desaparecimento da vítima. Durante a apuração a polícia descobriu que a balconista tinha um envolvimento com uma facção criminosa depois de ouvir testemunhas que não quiseram ser identificadas.

Após analisar as informações a Polícia chegou até as duas suspeitas, Mislaine e Elaine Nascimento Coelho, e descobriu que elas haviam fugido para Passos, onde foram presas há 10 dias.

De volta para Poços, depois de interrogadas por várias vezes, as envolvidas contaram que a balconista tinha sido morta, pois estava devendo R$ 6 mil para a facção. Segundo o delegado Deisiele era amiga de Mislaine. As duas trabalhavam juntas em uma lanchonete e a dívida foi contraída depois que foram demitidas do emprego. Segundo o delegado, a vítima comprava drogas comprava drogas da principal suspeita do homicídio.

A causa da morte ainda não foi identificada, mas Mislaine, contou aos investigadores que teria matado a vítima a facadas.

As duas suspeitas tiveram prisão temporária decretada até que o inquérito seja concluído. A polícia quer saber se teria mais gente envolvida no crime, uma vez que testemunhas disseram ter visto a vítima entrando em um carro com outras pessoas carregando  pá e picareta.

Entenda o caso:

A família de Deisiele de Cássia Roque procurava desesperadamente pela balconista desde o dia 17 de junho deste ano, quando a vítima entrou em contato com eles pela última vez. A última mensagem dizia que ela estava morando em Hortolândia, interior de São Paulo e que estaria vindo para Poços para buscar a filha de 5 anos.

Depois disso a família registrou o desaparecimento na PM e desde então não tinha informações sobre o paradeiro dela.

A família chegou a usar as redes sociais na expectativa de alguém ter alguma informação.

Nesta terça-feira, a família foi informada pela polícia de que a balconista havia sido assassinada, chegando ao fim uma angústia de quase 3 meses sem resposta. Porém ainda faltava a localização do corpo, o que acabou acontecendo nesta quarta-feira.

A família não tinha conhecimento de que Deisiele estava envolvida com drogas.

O sepultamento foi às 08h30 desta quinta-feira, 15, no Cemitério da Saudade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *