Curso de costura qualifica mão de obra em Caldas

Moradores de Caldas estão tendo a oportunidade de se profissionalizar através do curso de formação de costureiros, oferecido pela Secretaria de Assistência Social de Caldas, por meio do CRAS. O curso tem duração de um ano e oferece aulas práticas. A partir do quinto mês, os alunos já têm condições de produzir peças dentro de padrões profissionais e passam a receber pelo trabalho.

O objetivo é fazer que os alunos se tornem donos do próprio negócio

O curso é subsidiado pela prefeitura de Caldas, que oferece infraestrutura e insumos para a prática até que os alunos estejam prontos para costurar profissionalmente. Os costureiros recebem as peças já cortadas e são pagos pelo valor do trabalho que realizam em cada peça.

A empresa responsável pelo curso é já implantou núcleos de costureiros em várias cidades da região como Caconde, Monte Belo, Bandeira do Sul, Jacuí, Machado, São Sebastião do Paraíso, entre outras.

Embora haja muita rotatividade entre os aprendizes – mais de 30 pessoas iniciaram o curso e não terminaram nos meses iniciais do projeto, o curso já tem 10 pessoas produzindo e sendo remuneradas. A formatura da primeira turma será em breve.

De acordo com o prefeito de Caldas, Alexsandro Queiroz, é importante oferecer alternativas de profissionalização e geração de renda para as pessoas menos favorecidas. “Queremos que cada vez mais as pessoas tenham a chance de aprender uma profissão, de gerar renda para as suas famílias para que possam evoluir sem necessariamente depender do suporte do poder público”, explica o prefeito.

A intenção, além do curso é conseguir formar pequenos pólos industriais de vários segmentos no município.

De acordo com o instrutor do curso e proprietário da empresa que oferece o curso, Frankling Luis, no caso da oficina de costura, a proposta é que cada um dos profissionais constitua uma Micro Empresa Individual e assuma a responsabilidade sobre a própria renda. “Estamos na fase de constituição das primeiras empresas. O trabalho continuará da mesma forma, no mesmo local e os profissionais receberão a demanda de trabalho de acordo com a sua capacidade de produção” explica o empresário.

Ele ainda acrescenta que a principal vantagem deste modelo de projeto, é o fato de o aluno aprender a profissão na prática e já receber demanda de trabalho sem que haja necessidade de investimento em equipamentos ou insumos para trabalhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *