Hospitais fazem protesto coletivo pela Saúde Pública

A fachada da Santa Casa de Poços de Caldas amanheceu com faixas pretas simbolizando luto pela saúde. O protesto faz parte de uma ação coletiva mobilizada por hospitais filantrópicos de todo país. O protesto é contra a atual situação da saúde pública no país.

Governo de Minas deve mais de R$ R$ 3 milhões à Santa Casa

Em Minas Gerais, pelo menos 128 hospitais filantrópicos sofrem com atrasos nos repasses de recursos financeiros e com a dívida do Governo de Minas, que já ultrapassa 250 milhões de reais.

Além  das faixas pretas na fachada da Santa Casa, os pacientes e familiares recebem informações sobre a crise no setor e explicações sobre a suspensão do atendimento de alguns serviços do SUS em várias instituições. A dívida  do Governo do Estado de Minas Gerais com a Santa Casa de Poços de Caldas é de R$ 3.385.390,81.

Mais de 20 hospitais confirmaram participação no movimento e vão abrir as portas para mostrar à imprensa as dificuldades que enfrentam para garantir atendimento à população.

A iniciativa é da FEDERASSANTAS, que representa as Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Minas. A Federação já se mobiliza para entrar na Justiça cobrando que as autoridades cumpram com os pagamentos atrasados. Também no dia 26 a superintendente da Santa Casa e Poços de Caldas, Renata de Cássia Cassiano Santos, coloca-se à disposição da imprensa para dar esclarecimentos sobre a atual situação do hospital.

Sem recursos, vários hospitais deram início à suspensão de importantes serviços à população e ao corte de leitos para pacientes do SUS. Agora, as internações só são feitas quando há condições mínimas necessárias para se garantir o atendimento aos pacientes.

De acordo com a FEDERASSANTAS , a maioria dos valores pagos pelo SUS, para cada um dos serviços prestados, não tiveram aumento nos últimos anos. Para se ter uma ideia, para atender um paciente numa consulta de urgência, os hospitais filantrópicos recebem do governo apenas R$ 11,00 e geralmente o repasse vem com atraso de 90 dias.

Os filantrópicos atendem todas as cidades de Minas e representam 70%das internações de pacientes do SUS. Em Poços de Calda, essa porcentagem passa de 90%.

Em 2016, esses hospitais garantiram mais de 800mil internações; mais de 320 mil cirurgias e quase 1milhão e meio de tratamentos contra ocâncer. Além disso, 57%dos partos, pelo SUS, foram realizados pelos filantrópicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.