Secretaria de Saúde confirma o 1º caso de sarampo em Poços

A Secretaria Municipal de Saúde de Poços de Caldas confirmou na tarde desta quinta-feira, 3, o primeiro caso de sarampo na cidade.  De acordo com a Vigilância Epidemiológica a pessoa que contraiu a doença tem histórico de deslocamentos para São Paulo, região considerada como área de risco, devido à incidência de casos no estado.

Na próxima segunda-feira, 7, tem início a campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo – foto Poçoscom.com/Roni Bispo

Até o momento já foram notificados na cidade 42 casos, sendo que 36 foram descartados e o restante continua sob investigação.

Campanha Nacional de Vacinação

Tem início na próxima segunda-feira, 7, em todo o Brasil a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. Todas as crianças de 6 meses a 11 meses devem receber a primeira dose, por isso, o foco desta primeira etapa da Campanha é o público infantil. As crianças são as mais suscetíveis às complicações e óbitos por sarampo. A incidência de casos em menores de 1 ano é nove vezes maior em relação à população em geral. A segunda faixa etária mais atingida é de 1 a 4 anos. No final de agosto, a vacinação foi estendida para crianças a partir de 6 meses de idade, a chamada dose zero.Anteriormente, a dose da tríplice viral era recomendada para crianças a partir de 1 ano. Além disso, a vacinação dos menores de 1 ano não substitui as aplicações previstas quando a criança completa as idades estipuladas pelo Programa Nacional de Imunização, que é de 12 e 15 meses. “Trata-se de uma dose a mais, incluída no calendário, para a prevenção mais eficaz e mais cedo deste público, durante este período de surto que nós enfrentamos”, explicou Juliana Loro, coordenadora da Vigilância Epidemiológica.

A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo será de 7 a 25 de outubro, para crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade. O dia D mobilização nacional será 19 de outubro. Está programada ainda uma segunda etapa da Campanha, de 18 a 30 de novembro, quando o foco será a população de 20 a 29 anos. O dia D ocorrerá em 30 de novembro, para o público adulto. “Neste primeiro momento, a orientação do Ministério da Saúde é priorizar a imunização do público infantil que é o que corre mais riscos. Mas já está prevista esta segunda etapa da Campanha, quando aí sim, o foco será a população adulta”, esclareceu a coordenadora da Vigilância Epidemiológica.

Precisam ser vacinadas todas as pessoas até os 49 anos que não tenham o registro da vacina contra o sarampo em suas carteiras de vacinação. Quem não tomou a vacina quando criança, até os 29 anos, deve receber duas doses da tríplice. Dos 30 aos 49 anos é recomendada dose única. Além disso, profissionais de saúde também devem ser vacinados, independentemente da idade. Quem já teve sarampo não precisa tomar a vacina porque a imunidade decorrente da invasão persiste para o resto da vida.

Postos de Vacinação

Nas salas dos bairros: Country Club, São Jorge, Regional Leste e Sul, e nos Ponto da Cascata, Esperança 2, Kennedy 1 e 2, Quisisana, Santa Rosália, Vila Nova, Dom Bosco, Nova Aurora, Jardim São Paulo, Santa Augusta, Parque Pinheiro, Itamaraty 3, São José e Caio Junqueira, o funcionamento é das 7h às 16h30. Na Policlínica Central, o atendimento é até às 18h. É importante levar o cartão de vacinação e um documento oficial com foto, no caso dos adultos. Até o mês de julho, a cobertura vacinal de crianças estava em 84,3% para a primeira dose, e em 74% para a segunda dose.

Transmissão e Sintomas

A transmissão é viral e ocorre diretamente de pessoa a pessoa por tosse, espirros, fala ou respiração. A doença é transmitida na fase em que a pessoa apresenta febre alta, mal-estar, coriza, irritação ocular, tosse e falta de apetite e dura até quatro dias após o aparecimento das manchas vermelhas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. Por isso, é fundamental, tendo os primeiros sintomas, procurar a unidade básica de saúde ou um serviço de pronto atendimento, o mais rápido possível. Também são comuns lesões muito dolorosas na boca. A doença pode ser grave, com acometimento do sistema nervoso central e pode complicar com infecções secundárias como pneumonia, podendo levar à morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este site está protegido.