Corpo de Bombeiros alerta sobre o risco de incêndio em veículos

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais lançou uma campanha para alertar os proprietários de veículos sobre o risco de incêndio.  Só em Poços de Caldas este ano já foram registrados 5 casos, 2 deles só no último fim de semana nos bairros Santa Clara e Parque Pinheiros. Um Kadet e um Pálio ficaram parcialmente destruídos pelas chamas.

Kadet foi um dos veículos que pegaram fogo neste fim de semana em Poços – foto CB

A incidência de casos tem preocupado a Corporação que por meio de um levantamento de dados estatísticos junto ao Centro Integrado de Informações de Defesa Social, constatou que de janeiro de 2018 até abril de 2019 foram registradas 2.870 ocorrências de incêndios veicular em Minas Gerais. Em Poços de Caldas ao longo de 2018 foram 12 ocorrências.

O estudo concluiu que excluindo as causas criminosas, muitos destes incêndios poderiam ter sido evitados, caso houvesse sido realizada a manutenção preventiva, com inspeção no sistema mecânico e elétrico-eletrônico dos veículos, por profissionais e empresas qualificadas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, nas inspeções preventivas os profissionais podem identificar situações de risco e sugerir a substituições de peças e componentes, evitando no futuro transtornos mais graves e de grandes proporções. 

O Corpo de Bombeiros elencou uma série de problemas que podem resultar em um incêndio veicular:

 1) Sobrecargas elétricas e curtos-circuitos causados por acessórios mal instalados e não autorizados ou regulamentados pelos órgãos competentes. Ex: módulo de som, farol de milha e ar-condicionado;

2)        Sinais de ressecamento e derretimento nas conexões do alternador, fiações, cabos de velas, bateria, caixa de fusível e outros;

3)        Peças ressecadas, trincadas, com coloração diferente podem causar vazamentos de fluidos inflamáveis e entrarem em contato com áreas aquecidas no compartimento do motor;

4)        Vazamento nas conexões do filtro de combustível, reservatório da partida a frio, na tampa do conjunto da bomba de combustível, dentre outros.

5)        Vibrações do veículo podem vir a ocasionar vazamento de combustível em mangueiras, tanques, bocais e conectores mal instalados ou de má procedência;

6)        Instalação de kit de economia de combustível não autorizado pelo fabricante;

7)        Montagem e instalação de sistema com Gás Liquefeito de Petróleo (GLP);

Segundo o Corpo de Bombeiros, a região mais comum do carro para se incendiar é dentro do capô, local mais quente do veículo, onde também está localizada toda a tubulação de fluidos e combustível, próximos aos componentes elétrico-eletrônicos.

Mesmo não sendo mais obrigatório é importante ter o extintor de incêndio no veículo, com a inspeção em dia e saber manuseá-lo corretamente é de fundamental para a segurança e pode evitar a propagação do incêndio.

Contudo, incidentes ocorrem, sendo assim o Corpo de Bombeiros recomenda:

É muito importante lembrar que em caso de incêndio, nunca abra totalmente o capô do veículo, caso contrário as chamas poderão aumentar devido a entrada de oxigênio e você poderá ter sérias queimaduras.

De posse do extintor de incêndio e já em condições de utilização, abra apenas uma fresta do capô, ou seja, abra somente o espaço necessário para acesso do extintor, dirigindo o jato de pó ABC ou pó químico seco para a base das chamas.

Extinta as chamas, se possível desligue ou peça para desligar os cabos da bateria, começando pelo terminal negativo, evitando assim a possibilidade de um novo princípio de incêndio.

Mesmo seguindo todas estas orientações, para sua segurança afaste-se do veículo e chame imediatamente o Corpo de Bombeiros pelo 193.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *