Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.

Diagnosticado com esquizofrenia, filho de Kajany vai cumprir prisão domiciliar

Kajany Gabriel de Paula dos Santos, de 27 anos, acusado ser o responsável pela morte do pai, o professor Kajany César Moreira dos Santos, deixou na tarde desta quarta-feira, 18, o presídio de Poços de Caldas, onde estava preso desde dezembro do ano passado.

Kajany que estava preso desde o dia 5 de dezembro vai cumprir pena em casa – foto arquivo

A soltura havia sido concedida na última segunda-feira, 16, porém de acordo com o advogado de defesa, Wanderley de Mello, por serem três processos desde a prisão em flagrante, o número do primeiro processo foi inserido no Alvará de Soltura, o que acabou causando um impedimento e o rapaz não pôde deixar o presídio. No dia seguinte, o advogado detectou o problema e um novo Alvará foi expedido.

Em junho do ano passado, o juiz de Direito da Comarca de Poços de Caldas, José Henrique Mallman, concedeu a chamada “Absolvição Imprópria” para Kajany Gabriel. A Justiça e o Ministério Público entenderam que o rapaz, diagnosticado com esquizofrenia paranoide, não tinha condições de saber o que estava fazendo no dia do crime.

De acordo com Wanderlei de Melo, Kajany Gabriel vai fazer o tratamento em casa e receber atendimento ambulatorial, uma vez que o tratamento não seria possível no presídio. Kajany Gabriel ficará sob a tutela da tia dele, Matilde Borges. “Houve um engano na hora de inserir o número do processo no Alvará de Soltura, mas o problema foi resolvido rapidamente. Gostaria de aproveitar e agradecer a servidora Juliana do Cartório de Execuções Penais e ao juiz da 1ª Vara Criminal e de Execuções Criminais de Poços de Caldas, Robson Luiz Rosa Lima, pela atenção e agilidade com o processo envolvendo Kajany Gabriel”, finalizou o advogado.

O crime

O professor Kajany foi encontrado morto com corte profundo no pescoço, na manhã do dia 2 de dezembro de 2017, por uma equipe do SAMU, que havia ido à casa do professor cumprir uma internação compulsória contra a própria vítima, uma vez que ela também sofria de problemas mentais. O corpo do professor foi encontrado com várias perfurações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *