Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.

Empresas de fachada são alvo de operação da Receita Estadual

A Receita Estadual de Minas Gerais está investigando 80 empresas que existem só de fachada para emissão de notas fiscais frias. Durante dois dias fiscais da Receita participaram da operação denominada “Espectro”. Poços de Caldas está entre os municípios onde foi realizada a fiscalização.

O volume de operações praticadas por estas empresas com as notas frias pode alcançar R$ 30 milhões foto – Receita Estadual

A fiscalização, realizada na última quinta e sexta-feira, envolveu 180 servidores, em 47 municípios, e teve como alvo empresas, supostamente de fachada, criadas para “esquentar” mercadorias sem procedência e sonegar impostos se valendo da emissão de notas fiscais “frias”. 

Levantamentos da Receita Estadual indicam que o volume de operações praticadas por estas empresas com as notas frias pode alcançar R$ 30 milhões.

As investigações foram conduzidas por um grupo de auditores fiscais da Receita Estadual, que trabalhou com um universo de aproximadamente 10 mil empresas – dos segmentos de indústria, atacado e varejo -, a partir do cruzamento de dados desses contribuintes.

Itens foram minuciosamente analisados, como a capacidade financeira dos sócios; as estruturas físicas dos estabelecimentos; e empresas com objeto social distinto do tipo de operações que executa.

Dentre os principais setores fiscalizados na operação, destaque para os de metalurgia, plásticos, têxtil, calçados, bebidas, combustíveis, cigarros, automotores, material de construção e móveis.

O superintendente de Fiscalização Carlos Renato Confar afirma que “a Receita Estadual trabalha no combate à sonegação para garantir um ambiente de concorrência leal para quem investe ou quer investir em Minas Gerais”.

Confar reiterou, ainda, que as ações do Fisco mineiro são voltadas para a mudança de comportamento dos contribuintes, ampliação da base de tributação e crescimento da arrecadação, permitindo ao Governo do Estado implementar suas políticas públicas.

Além de Poços de Caldas, a operação foi realizada nos seguintes municípios:

  1. Alterosa
  2. Andradas
  3. Antônio Prado de Minas
  4. Araguari
  5. Arceburgo
  6. Belo Horizonte
  7. Betim
  8. Boa Esperança
  9. Bom Despacho
  10. Brasilândia de Minas
  11. Cláudio
  12. Contagem
  13. Corinto
  14. Delta
  15. Divinópolis
  16. Elói Mendes
  17. Extrema
  18. Formiga
  19. Governador Valadares
  20. Itaobim 
  21. Jacutinga
  22. Juiz de Fora
  23. Malacacheta
  24. Manhuaçu
  25. Monte Belo
  26. Muriaé
  27. Nova Lima
  28. Ouro Fino
  29. Paracatu
  30. Passos
  31. Perdizes
  32. Ponte Nova
  33. Pouso Alegre
  34. Riachinho
  35. Rio Paranaíba
  36. Santa Rita do Sapucaí
  37. Santana do Paraíso
  38. São João del-Rei
  39. Sarzedo
  40. Sete Lagoas
  41. Teófilo Otoni
  42. Tocantins
  43. Três Corações
  44. Uberaba
  45. Uberlândia
  46. Visconde do Rio Branco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *