Polícia Civil prende suspeitos de homicídio por meio de nota fiscal

Uma nota fiscal da compra de uma motocicleta de leilão foi fundamental para que a Polícia Civil de Poços de Caldas, por meio dos integrantes da 3ª DRACO – Delegacia de Repressão e Combate ao Crime Organizado, prendesse três suspeitos de envolvimento na morte de Elias Donizeti da Silva, de 48 anos, assassinado a tiros em um bar no Bairro Dom Bosco no dia 18 de fevereiro. A motivação do crime está ligada ao tráfico de drogas.

A Apresentação dos suspeitos foi na manhã desta quinta-feira – foto Poçoscom.com/Roni Bispo

De acordo com o titular da 3ª DRACO, o delegado Cleyson Brenne, as investigações iniciaram instantes depois do homicídio. A equipe ainda estava no bar quando chegou a informação de que uma motocicleta em chamas foi encontrada na estrada que acesso ao frigorífico Tamoyo.

A partir da identificação do chassi, os investigadores descobriram que a moto era produto de leilão. Os trabalhos então foram concentrados nos estabelecimentos que comercializam este tipo de veículo e foi então que os investigadores localizaram a nota fiscal e em seguida a identificação de todas as pessoas que tiveram posse sobre a motocicleta e o último que comprou o veículo foi um dos suspeitos, Jean Paulo Pires, 31, que confessou aos policiais que entregou a moto para que os outros dois suspeitos executassem o crime e depois o mesmo foi buscá-los no local onde a moto foi encontrada.

Delegado Regional Gustavo Manzoli e Cleysson Brenne ( 3ª DRACO) falaram sobre as prisões –  Poçoscom.com/Roni Bispo

Ainda segundo o delegado, o crime está relacionado ao tráfico de drogas, uma vez que a vítima arrendava um ponto de venda de drogas para os três suspeitos no bairro Dom Bosco pelo valor R$ 300,00 por semana. Porém Elias Donizeti passou a cobrar pelo aluguel constantemente e em algumas vezes chegou a agredir um dos suspeitos, foi então que decidiram colocar em prática o assassinato.

As investigações apontaram que o autor dos tiros foi Amom Gezer da Cruz, de 28 anos. O terceiro suspeito foi identificado como José Ronaldo dos Reis, conhecido como Nêgo, também de 28 anos, que era quem pilotava a moto na noite do homicídio.

As prisões ocorreram na terça-feira, 27, sendo que dois dos suspeitos foram presos quando se apresentaram à polícia, acompanhados pelas advogadas e outro na casa dele.

Os suspeitos estão presos temporariamente, mas deve ser solicitada a preventiva deles. Dos três suspeitos apenas o Nêgo não tem passagem pela polícia.  A arma usada no crime não foi encontrada. Os suspeitos disseram que a jogaram em um matal depois do assassinato.

O assassinato

O crime aconteceu na noite de domingo, dia 18 de fevereiro, em um bar na Rua Maracanã no Bairro Dom Bosco. A vítima Elias Donizeti da Silva estava com a namorada em uma mesa no interior do bar quando um homem usando capacete e capa de chuva entrou no recinto foi até o casal e encostou a arma na cabeça da vítima e atirou.

Na fuga ele chegou a fazer mais disparos contra as pessoas que estavam no bar, felizmente ninguém foi atingido.   Com a chegada da PM o bar foi fechado e a área isolada para o trabalho da perícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.