Pouco mais de 400 passageiros viajaram de avião de Poços para BH em um ano de serviço

Pouco mais de um ano depois da inclusão de Poços de Caldas do programa Voe Minas, a procura pelo serviço na cidade ainda está abaixo da média estipulada pela Codemge – Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais -, antiga Codemig, que administra o projeto no Estado. Em um ano de funcionamento, 437 passageiros utilizaram o voo de Poços de Caldas para a capital Belo Horizonte.

Em um ano 437 passageiros usaram o serviço em Poços de Caldas – foto arquivo

Os números divulgados pela Codemge correspondem a uma média de 36% de ocupação, taxa inferior à meta inicial de 42%, considerada ideal pela companhia no início da implantação do programa em Poços, em julho de 2017.

Na época, Poços de Caldas foi incluída na terceira fase do programa, que começou com voos diários para a capital mineira com escalas em Pouso Alegre e Varginha. Embora o número de passageiros seja pequeno e esteja abaixo da estimativa inicial, a taxa de ocupação, que era de 26% nos primeiros meses, chegando a 30% em outubro do ano passado, teve um crescimento tímido e agora é de 36%. No Estado, a taxa média de ocupação dos voos do programa atingiu, em julho de 2018, o percentual de 60,19%.

Em outubro de 2017, a Codemge reduziu a frequência de voos em Poços, justamente por conta da baixa procura pelo serviço. Os voos passaram a ocorrer apenas três vezes por semana, as segundas, quartas e sextas-feiras.

A passagem de Poços para Belo Horizonte pode ser adquirida com preços a partir de R$ 450,00, através do site: http://www.voeminasgerais.com.br/

Voe Minas

O Voe Minas, projeto de Integração Regional, foi lançado em 17 de agosto de 2016, com o objetivo de fomentar o transporte aéreo regional, estimular os negócios e o turismo, aproveitando a infraestrutura aeroportuária pública já disponível no Estado. A iniciativa está completando dois anos de operação em agosto de 2018 e entra na oitava fase com a inclusão de mais quatro municípios, com o lançamento das rotas de Governador Valadares, Ipatinga, Patrocínio e Piumhi.

Em dois anos de projeto, cerca de 23 mil passageiros foram transportados em 6.535 voos realizados. A taxa média de ocupação dos voos atingiu, em julho de 2018, o percentual de 60,19%, com receita da venda de passagens totalizando R$ 7,5 milhões. O subsídio por passageiro tem apresentado constante diminuição no decorrer do projeto, tendo chegado, em julho, a R$ 119,31 por passagem. Os destinos mais procurados atualmente são Teófilo Otoni, Caratinga, Patos de Minas, Diamantina e Manhuaçu.

3 comentários em “Pouco mais de 400 passageiros viajaram de avião de Poços para BH em um ano de serviço

  • 27 de agosto de 2018 em 13:26
    Permalink

    Abaixem o valor das passagens, que este percentual de passageiros com cetteza irá aumentar!! Mas como tudo em Poços de Caldas é acima dos valores, isso também não poderia ser diferente!!!

    Resposta
  • 27 de agosto de 2018 em 15:25
    Permalink

    Penso que precisa melhorar esses preços. Torna-los mais acessíveis. E penso que seria muito melhor voos para São Paulo ou pelo menos até Campinas. Eu sei que o projeto chama-se voe Minas. O que subtende-se o incentivo voar por Minas. Mas será que deveria ficar só por aqui mesmo? Talvez seja o momento desse projeto se abrir para aproveitar que SP está aqui pertinho de nós, estamos na divisa com SP.

    Resposta
  • 27 de agosto de 2018 em 16:28
    Permalink

    Erraram na rota. Se o destino fosse São Paulo o índice aumentaria significativamente.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.