Projeto da Tarso de Coimbra recebe Menção Honrosa no Desafio Criativos da Escola

O projeto “Mãos que falam e ultrapassam fronteiras – Empatia”, desenvolvido em comemoração aos 60 anos do Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado Dr. Tarso de Coimbra, recebeu Menção Honrosa no Desafio “Criativos da Escola”, iniciativa que faz parte do Design for Change, movimento global que está presente em 65 países.

No projeto, adolescentes surdos ensinam a comunicação básica de sinais a ouvintes no comércio e serviços públicos da cidade
 

O Criativos da Escola encoraja crianças e jovens a transformarem suas realidades, reconhecendo-os como protagonistas de suas próprias histórias de mudança. O protagonismo, a empatia, a criatividade e o trabalho em equipe são os pilares centrais do projeto que busca envolver e estimular educandos e educadores de diferentes áreas no engajamento e na atuação em suas comunidades. Em 2019, 1.443 projetos de todo o país foram inscritos e a iniciativa de Poços de Caldas foi premiada na Categoria Menção Honrosa (https://criativosdaescola.com.br/conheca-os-premiados-do-desafio-criativos-da-escola-2019/#Mencao-Honrosa-2019).

O projeto “Mãos que falam e ultrapassam fronteiras – Empatia” é um programa de acessibilidade atitudinal que visa ultrapassar as fronteiras de comunicação que separam surdos e ouvintes e impedem uma sociedade verdadeiramente inclusiva. Na prática, o propósito é envolver todos os setores de atendimento ao público da cidade, oferecendo vivências que auxiliem na recepção do surdo e na comunicação básica com ele, desenvolvendo uma atitude proativa de acolhimento.

A iniciativa nasceu da necessidade real dos adolescentes surdos que esbarram constantemente na dificuldade dos ouvintes que não sabem como interagir com pessoas surdas no comércio e nos serviços de Poços de Caldas. Os protagonistas são os próprios adolescentes atendidos no Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado Dr. Tarso de Coimbra, que ensinam possibilidades de comunicação básica por meio da Língua Brasileira de Sinais.

O projeto foi desenvolvido pelas pedagogas Fabiana Scassiotti Fernandes Solia, coordenadora da unidade, e Maria Angela dos Santos Caruso. “Gratidão e alegria! Gratidão a todos da Tarso, que lá trabalham e estudam, a Angela Santos Caruso, que acreditou desde o início na proposta e a enriqueceu, aos empresários que abriram seus espaços para nos receber e a Flávia Vivaldi, que nos apresentou este desafio e nos incentivou. Somos Tarso de Coimbra, somos Poços de Caldas”, celebra a coordenadora da unidade, Fabiana Scassiotti Fernandes Solia.

Tarso de Coimbra – 60 anos
A escola iniciou suas atividades em setembro de 1959, como associação, pelas mãos de Maria do Rosário Mourão Davis, Nini Mourão, presidente da Fundação Gota de Leite, com a colaboração do Monsenhor Trajano Barroco. Nini Mourão convidou Paulo Petrolati, que havia estudado em regime de internato no Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines), no Rio de Janeiro, e retornado a Poços de Caldas, para que ensinasse a língua de sinais para 7 crianças surdas.
A escola funcionava na própria Fungotac, mudou-se para a Rua São Paulo e, em 1987, foi incorporada à Rede Municipal de Ensino. Em 2001, conquistou a sede própria na Rua Mario Xandó de Oliveira, 2 , no bairro São Geraldo, em uma construção conjunta entre a Alcoa e a Prefeitura.

Em 2011, a escola foi transformada em Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado Dr. Tarso de Coimbra, em consonância com a legislação e política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Hoje, a escola conta com 42 estudantes surdos e com deficiência auditiva, oferecendo atendimento educacional especializado, de forma não substitutiva à escolarização, no contraturno escolar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este site está protegido.