Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.

Cemitério Municipal é monitorado pelos agentes de combate à Dengue

A divulgação de várias fotos tiradas no Cemitério da Saudade em Poços de Caldas nesta terça-feira nas redes sociais despertou a preocupação de muita gente em relação à prevenção contra o mosquito Aedes Aegypt, transmissor da Dengue, Febre Chikungunya e o Zika vírus.

Cemitério e outros 57 pontos são monitorados
Cemitério e outros 57 pontos são monitorados

As fotos mostram alguns vasos com flores de plástico acumulando água por conta da chuva dos últimos dias. Ao ter informação sobre a divulgação nas redes sociais, a prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informou que o cemitério assim como as borracharias e o Complexo Santa Cruz, são considerados pontos estratégico. O cemitério e outros 57 locais no município são monitorados periodicamente e recebem tratamento, com aplicação de larvicida e adulticida.

A Secretaria ressaltou ainda que 87% dos focos do mosquito estão dentro das casas, por isso é fundamental que toda população faça a sua parte, permitindo a entrada dos agentes de combate a endemias e, principalmente, verificando a situação de sua casa ou apartamento e ainda alertando os vizinhos sobre os riscos da proliferação.

Em Poços de Caldas a situação está sob controle, mas o alerta continua por conta da situação dos municípios da região, da situação atual de Minas Gerais e do estado de São Paulo e da grande população flutuante no município.

O telefone para denúncias de locais que possam virar criadouros do mosquito é o  3679-5977.

Um comentário em “Cemitério Municipal é monitorado pelos agentes de combate à Dengue

  • 17 de fevereiro de 2016 em 18:39
    Permalink

    Os índices apresentados no Brasil são surpreendentes e estranhos. No papel zero no próximo ano 6 mil casos..fato em um estado vizinho… A teoria também é muito interessante e contraria a pratica. Fato que nos faz informar sobre a extrema necessidade de ter uma equipe treinada e especializada em dois tipos de inseticidas e manuseio de bombas ,o P.E. .
    Está equipe deveria acompanhar todos os locais do município que possam encontrar o mosquito.Óbvio..sem mosquito não ha larvas. Além do ponto interessante de que o Aedes não tem capacidade de voo alto e longo..de um bairro para outro…Ele é frágil quanto ao vento. Viaja dentro de carros , caminhões e ônibus. Se vindo de uma região onde o índice de infestação é grande, ele poderá trazer a doença. Quando estaciona poderá se fixar em uma garagem de transportes urbanos interestadual, nas lonas de caminhões ou pneus..Caso não encontre procurará num raio de 300 metros um local que tenha tudo que lhe favoreça para botar seus ovos.Inclusive dentro de residências. Ele vai de um bairro ao outro em carros..caminhões e ônibus…O interessante é encontra-lo quando chega ao município. Dai a importância do ciclo PE.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *