Comitê Covid-19 autoriza alterações em algumas feiras livres

Representantes da Associação dos Feirantes de Poços de Caldas se reuniram com o secretário de Desenvolvimento e Trabalho, Thiago Mariano. Por causa da pandemia do coronavírus, das 11 feiras da cidade, apenas 4 estavam sendo realizadas, e só podiam ser comercializados produtos hortifrutigranjeiros. [ Zona Sul: COHAB (sextas-feiras); Centro: Mercado (sábados); Zona Oeste: Vila Cruz (terças-feiras); Zona Leste: Nova Aurora (domingos)]

Os feirantes de bancas de pastel, pamonha, churrasquinho, doces e demais produtos alimentícios ainda vão passar por uma capacitação antes de voltar ao trabalho

O presidente da associação dos Feirantes, Paulo Gonçalves de Lima, colocou em pauta duas reivindicações. O primeiro pedido é para que outros produtos pudessem voltar a ser comercializados, como roupas, pastel, caldo de cana, pamonha, e que outras feiras pudessem ser reativadas. “ Nos comprometemos a organizar as feiras de maneira que a distância entre as barracas seja respeitada”, explicou Paulo de Lima.

O secretário Municipal de Desenvolvimento e Trabalho (SEDET), Thiago Mariano, levou os dois pedidos para serem analisados junto ao Comitê Extraordinário Covid 19, e algumas alterações foram aprovadas:

– Autorizada a reativação da feira aos domingos no bairro Country Club;

– Autorizado o comércio de roupas e utensílios nas feiras da COHAB (sextas-feiras); Vila Cruz (terças-feiras); Nova Aurora (domingos) e Country Club (domingos), EXCETO NA FEIRA DE SÁBADO, ao lado do mercado, que permanecerá comercializando exclusivamente hortifrutigranjeiros;

– Feirantes de bancas de pastel, pamonha, churrasquinho, doces e demais produtos alimentícios, vão passar por um treinamento de segurança sanitária, que será realizado na próxima quarta-feira (20/05), às 18h,na SEDET, que fica à rua Pernambuco, 265. Somente depois deste treinamento o retorno às atividades será avaliado pelo Comitê Covid-19;

O distanciamento de 3 metros entre as barracas deve ser rigorosamente respeitado. “Entendemos a dificuldade que todos estão passando. De 4 passamos a ter  5 feiras em funcionamento. A SEDET está em contato constante com os feirantes buscando esse consenso para que haja essa corresponsabilidade de todos seguirem as normas sanitárias”, concluiu Thiago Mariano, secretário da SEDET.

O funcionamento das feiras livres deve seguir as demais regras

– obrigatoriedade do uso de máscara de proteção individual pelo
feirante durante todo o período da feira, com substituição a cada duas
horas, e higienização freqüente das mãos com álcool em gel 70%.

– fica proibido ao consumidor encostar em quaisquer produtos
expostos à comercialização, os quais deverão ser disponibilizados,
preferencialmente, embalados para evitar a contaminação, cabendo ao
consumidor realizar inspeção visual das mercadorias e solicitar ao
feirante que colete, embale (se necessário) e entregue os produtos escolhidos.

– permissão para montagem das barracas a partir das 4h, com acesso ao público e funcionamento liberados das 6h às 12h;

-espaçamento mínimo de 3 (três) metros entre as barracas,
obedecendo o mapeamento de readequação do espaço, feito pela
Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho;

– fica proibida a participação de feirante e funcionário que têm doença crônica, tais como diabetes, hipertensão, cardiopatias, doença respiratória, pacientes oncológicos e imunossuprimidos e feirantes com  idade igual ou superior a 60 anos.

– a limpeza, higienização e desinfecção dos locais onde
serão realizadas as feiras é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Serviços
Públicos.

 O Comitê ainda destaque que na feira não pode haver consumo no local. Essa regra vale para supermercados, mercearias, mercado e padarias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.