Homem tenta entrar em casa de estudante se passando por agente da dengue

A denúncia do falso agente foi recebida pela Secretaria Municipal de Saúde, nesta terça, 2. Uma estudante universitária de 22 anos, que prefere não se identificar, fez o relato por telefone. “Hoje cedo eu estava trabalhando, quando bateu um homem aqui em casa. Eu atendi, era um homem alto, aparentando uns 30 anos, que estava com uma camiseta vermelha e preta e falou que era da dengue, que era da Prefeitura e que precisava entrar para ver se aqui tinha algum foco de dengue. Aí eu vi que ele não tinha uniforme, não tinha identificação nenhuma. Fiquei com medo, comecei a fechar o portão e ele colocou a mão pra segurar. Ele falou que se eu não deixasse ele entrar, eu não estaria colaborando com a campanha. Mesmo assim dei bom dia e fechei a porta. Tenho certeza de que não é a equipe, porque eles vem sempre uniformizados e são sempre educados, não é este tipo de abordagem. Achei importante divulgar, porque uma pessoa de mais idade ou até desatenta, pode deixar alguém assim entrar em casa e fazer alguma maldade”, informou a jovem, moradora do bairro Santa Rosália.

Secretaria de Saúde alerta que os agentes de endemias trabalham uniformizados e com identificação

De acordo com o coordenador da Vigilância Ambiental, Jorge Miguel Ferreira do Lago, o procedimento adotado pela estudante foi o correto. “Ela teve uma atitude muito adequada, ela viu que não estava identificado, que não tinha uniforme, que não tinha crachá, ela não deixou entrar na residência e é exatamente isso o que a gente recomenda, não deixar entrar se a pessoa não estiver devidamente identificada. Colete, bolsa e crachá são de uso obrigatório dos agentes. Normalmente em cada bairro, é o mesmo agente que passa, então a população já está acostumada com esta pessoa, já tem este vínculo. Mas se for uma pessoa diferente também, o que pode acontecer, quando fazemos mutirão ou um trabalho mais intenso no bairro, ainda assim, se o morador tiver dúvidas, ele pode e deve entrar em contato com a Vigilância Ambiental no 3697-5977, para confirmar a identificação do agente. Tendo dúvidas é fundamental não abrir a porta”, alertou Jorge Miguel. O contato também pode ser feito pela Ouvidoria Municipal de Saúde, no 0800-283-0324, de segunda a sexta, das 8h às 17h, com ligação gratuita.

Pandemia

O trabalho de visitas domiciliares continua sendo realizado pelos agentes de endemias, observando cuidados importantes. Neste período de pandemia, os agentes não entram nas residências, vistoriando prioritariamente áreas externas, quintais e mantendo o distanciamento de segurança de outras pessoas. Todos os profissionais receberam álcool gel 70% para higienização das mãos. Além disso, residências com moradores na faixa etária a partir dos 60 anos, estão temporariamente com as visitas suspensas, como forma de resguardar esta população que é mais vulnerável ao Covid-19.

Atividades de bloqueio de transmissão, além de monitoramento de pontos estratégicos e atendimento de denúncias continuam sendo feitas pela Vigilância Ambiental. Água parada e limpa é o ambiente que o mosquito Aedes aegypti precisa para se multiplicar. Qualquer situação de acúmulo de água deve ser verificada. Caixas d´água tampadas, calhas limpas e sem acúmulo de água, materiais que possam juntar água no quintal devem ser cobertos com lonas, garrafas viradas com a boca para baixo e piscinas limpas e cobertas, quando não utilizadas. Areia nos vasinhos de plantas e até as vasilhas de água do cão ou do gato devem ser constantemente verificadas.

Canais contra o Aedes

Denúncias ou solicitação da visita dos agentes de endemias podem ser registradas na Ouvidoria Municipal de Saúde ou pelo telefone da Vigilância Ambiental. As solicitações podem ser realizadas ainda pelo aplicativo e-Ouve, disponível para download nos serviços de distribuição digital de aplicativos (basta digitar eOuve) ou pelo site http://pocosdecaldas.eouve.com.br. O link pode ser acessado também na página inicial da Prefeitura (www.pocosdecaldas.mg.gov.br). “Temos um trabalho atuante da equipe da Saúde e o envolvimento de outras secretarias também. É muito importante contar com o apoio da população nestas ações que são fundamentais para a saúde de todos”, finalizou o secretário municipal de Saúde, Carlos Mosconi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.