Plenária regional do PJ reúne alunos de Poços, Guaxupé e São Sebastião do Paraíso

Alunos de Poços que participam do Parlamento Jovem 2018, acompanhados de professores e coordenadores do projeto, estiveram na plenária regional do Polo Sudoeste, realizada em Guaxupé, na última quarta-feira (08). O encontro contou, também, com a presença do vice-presidente da Câmara de Poços e presidente da Comissão de Legislação Participativa, vereador Lucas Arruda (Rede), e do vereador Gustavo Bonafé (PSDB).

A conclusão das atividades do Parlamento Jovem será em setembro na Assembleia Legislativa de Minas Gerais

Durante a plenária, os estudantes discutiram e votaram propostas que serão encaminhadas a Belo Horizonte, na fase estadual. As sugestões em análise, sobre o tema Violência contra a Mulher, foram elaboradas pelos alunos das três cidades que integram o Polo Sudoeste (Poços, Guaxupé e São Sebastião do Paraíso) e, entre as propostas aprovadas, está a que cria o “Desembarque Seguro” para mulheres que utilizam o transporte coletivo municipal e intermunicipal, no período de 22h às 06h. O objetivo é que o desembarque aconteça nas proximidades das residências de cada uma, desde que a localidade esteja dentro do itinerário dos ônibus.

A conclusão de todas as atividades do Parlamento Jovem acontecerá na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, no mês de setembro, com a realização da plenária final e nova votação das propostas. Representantes de todos os municípios que participam do projeto estarão presentes para a entrega do documento oficial à Comissão de Participação Popular da ALMG.

Lívia Maria Silva Marrichi é aluna do Centro Educacional Poços de Caldas (Cepoc) e participa pela primeira vez do Parlamento Jovem. Durante a plenária, ela e mais seis alunos foram escolhidos para participarem da etapa estadual, representando o Polo Sudoeste. “O Parlamento Jovem em si é uma coisa maravilhosa. É a chance da nova geração ter uma voz maior, ter a chance de dizer que quer ajudar. Foi algo incrível que tive a oportunidade de participar, porque senti que estava fazendo a diferença em um assunto que eu achava que nunca poderia opinar”, ressaltou.

Sobre o tema de 2018, Lívia afirmou que muitas propostas boas foram apresentadas, sendo difícil escolher apenas algumas para a plenária em Belo Horizonte. “O tema desse ano foi perfeito. Quando estou voltando para minha casa, à noite, muitas vezes sinto medo pelo fato de ser mulher e de alguém me atacar. Quando você está pedindo para as pessoas debaterem esse assunto, você está pedindo para se sensibilizarem e para lutarem pela causa delas. É uma chance de sugerir elaboração de leis para você se proteger. Muitas propostas foram boas, temos vontade de encaminhar várias para a estadual, mas isso não é possível. Com certeza, a proposta que mais me chamou a atenção foi sobre o Código Lilás, além de propostas que envolvem a escola. Queremos desconstruir a imagem de que a mulher é frágil, de que ela é menor, e precisamos envolver as crianças desde cedo”, declarou.

A professora de Filosofia Heloíse Paula Costa, da Escola Estadual João Eugênio de Almeida, falou do assunto em debate e da preparação que os alunos tiveram. “Primeiro, o tema é muito importante no sentido de trabalharmos essa questão com jovens do ensino médio para começarem a pensar o papel da mulher na sociedade, quais estigmas a mulher sofre, como essa sociedade patriarcal que a gente ainda vive é pensada a partir da figura masculina. Acho interessante isso em um primeiro momento. E depois, o que achei de grande relevância, foi toda a preparação que os meninos fizeram antes da plenária, com palestras envolvendo profissionais de várias áreas que abordaram o tema da violência contra a mulher sob vários ângulos. Tivemos psicóloga que atua na Delegacia falando sobre como a mulher chega fragilizada após ser vítima de violência, tivemos as meninas que militam na causa da violência, ou seja, tivemos várias visões para o mesmo problema para depois os meninos começarem a pensar o que falta de propostas dentro do tema. Já avançamos muito, mas temos que avançar ainda mais. Acho que eles fizeram esse papel muito bem por conta da preparação”, disse.

Formação Política

Informação e formação política. Esses foram alguns dos pontos positivos apontados pelo vereador Gustavo Bonafé sobre o projeto. “O Parlamento Jovem é uma das grandes preciosidades da Câmara de Poços e de todas as outras Casas Legislativas parceiras. É a oportunidade que o jovem tem de se aprofundar e ter não só informação, mas formação política, e mais do que isso, poder produzir, contribuir e se movimentar. É tirar o jovem de um lugar comum de reclamação e colocá-lo em um lugar de protagonismo e de proposição. Esse é o grande benefício e, se a gente tem esperança em ver um país melhor politicamente, a esperança nada tem a ver com o verbo esperar. Esses jovens estão mostrando que é a partir dessa proatividade que podemos transformar a nossa realidade”, pontuou.

O vice-presidente da Câmara, vereador Lucas Arruda, fez um balanço positivo das atividades em 2018. “Nesse ano em que o PJ completa 10 anos em Poços, notamos que o projeto, que já está consolidado, é referência para a juventude do município. Todos os anos, tivemos a participação de alunos que já estiveram em anos anteriores e fizeram questão de participar novamente. Percebemos um engajamento muito grande em um tema muito atual. Discutimos pormenores da violência institucional, da violência doméstica e da violência sexual da mulher, assuntos que precisam avançar. Mais uma vez, podemos dizer que foi bastante produtivo e essa vivência no projeto faz com que o jovem tenha um olhar diferenciado para a política de modo geral”, afirmou.

Projeto

O Parlamento Jovem de Minas é um projeto de formação política e educação legislativa, desenvolvido pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais e PUC Minas, em parceria com Câmaras Municipais. Além de despertar nos jovens o interesse pelo exercício da democracia, o programa possibilita o conhecimento do processo legislativo, bem como a vivência em situações de debates, exposição de opiniões, negociações e escolhas.

Em 2018, o PJ chega à 10ª edição em Poços de Caldas, com a participação das seguintes escolas: Escola Estadual Professora Cleusa Lovato Caliari, Escola Profissional Dom Bosco, Colégio Nini Mourão, Colégio Objetivo, Colégio Sete de Setembro, Escola Estadual Dr. Edmundo Gouvea Cardillo, Escola Estadual João Eugênio de Almeida, Escola Estadual Francisco Escobar, Centro Educacional Inovação, Escola Padrão do Parque das Nações, Instituto Educacional São João da Escócia, Centro Educacional Poços de Caldas (Cepoc) e Escola Estadual David Campista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.