Tradição no 13 de Maio, Missa Conga marca sincretismo religioso da Festa de São Benedito

Se não fosse a pandemia do novo coronavírus, que adiou a tradicional Festa de São Benedito para o segundo semestre, fiéis de todos os lugares iniciariam o último dia das festividades, na quarta-feira, 13 de Maio, com a Missa Conga. Realizada sempre na manhã do feriado municipal, a celebração é uma das principais demonstrações de devoção ao Santo Negro, assim como a procissão que marca oficialmente o encerramento da festa, na tarde do mesmo dia.

A Festa de São Benedito é um patrimônio cultural e religioso

“É um momento de muita fé e de alegria também, quando encerramos a nossa missão na preservação desse patrimônio imaterial”, destacou Ailton Santana, da Associação dos Ternos de Congos e Caiapós de Poços de Caldas, em entrevista quando da realização da Missa Conga em 2019.

“A importância maior é São Benedito e Nossa Senhora do Rosário”, diz a capitão do Terno São Jerônimo/Santa Bárbara, Dona Orlanda Conceição Silva, mestre reconhecida pelo Ministério da Cultura, por meio do Prêmio Culturas Populares, categoria Mestres. “Vem de família, dos meus avós, do meu pai, da minha mãe e eu fiquei sendo a capitã”, conta Dona Orlanda, também em entrevista no ano passado.

Em pesquisa realizada para o desenvolvimento do roteiro intitulado “Bendito Roteiro” do projeto de educação patrimonial “Você é Poços”, a arte-educadora Daniela Marco Antonio Alvisi aponta que “a Missa Conga é uma celebração muito importante para os integrantes dos grupos de cultura popular que participam da Festa de São Benedito. Na manhã do dia 13 de maio, todos se reúnem para demonstrar a devoção ao santo, um dos padroeiros da cidade de Poços de Caldas, e cada um faz suas homenagens seguindo suas tradições particulares (…). Durante o culto, os sacerdotes e congadeiros dividem as ações da celebração, num incrível fenômeno de sincretismo cultural. O som dos tambores mistura-se ao dos violões e o coro é múltiplo”, escreve a pesquisadora. (Disponível em https://drive.google.com/file/d/18gRPAsUEMoPDckcKxWf2gEkQrmZZLpor/view).

Sem dúvida, a Missa Conga é um dos momentos mais emocionantes da programação cultural e religiosa da Festa de São Benedito, quando o bater do tambor se une às preces e agradecimentos por mais um ano de tradição, fé, devoção, arte e cultura.

História
De acordo com as pesquisas da pedagoga Sônia Maria Sanches, da Divisão de Patrimônio Construído e Tombamento, a Festa de São Benedito é realizada desde 1904, na Freguesia da Nossa Senhora da Saúde das Águas de Caldas, primeiro nome da cidade. Mas, segundo Caio Augusto Faria Lobato (falecido em 2016), bisneto do Coronel Agostinho Junqueira, as primeiras festas já aconteciam antes dessa data na Fazenda Barreiro.

A primeira imagem de São Benedito veio de Amparo/SP para Poços de Caldas, trazida por Herculano Cintra (os escravos recebiam o sobrenome dos seus respectivos proprietários). Este escravo, muito devoto de São Benedito, atribuía ao Santo sua alforria. Comprou uma chácara, conheceu Raimundo Mourão, outro escravo, e pediu à família do Dr. Mário Mourão apoio para realizar a Festa.

Confira o trabalho de pesquisa sobre a história da Festa de São Benedito: https://pocosdecaldas.mg.gov.br/noticias/homenagem-a-sao-benedito-em-tempos-de-pandemia/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.