Transporte público em Poços poderá ser operado por duas empresas

Esta possibilidade foi apresentada por especialistas do CEFET, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, durante a audiência pública realizada na última quinta-feira, 20, na Urca onde foi discutida amplamente a elaboração do novo contrato de concessão do transporte coletivo de Poços de Caldas.

Novo edital será publicado em outubro – foto arquivo

Os técnicos do CEFET apresentaram um diagnóstico completo de como o transporte de passageiros funciona hoje na cidade, pontuaram alguns problemas e apresentaram as possíveis soluções.

O primeiro tema a ser apresentado foi a possibilidade de duas empresas passarem a atuar na cidade. “O projeto visa a não exclusividade, o município foi dividido em duas áreas (zonas leste/oeste e zona sul) e cada empresa ficaria responsável por uma”, explicou o engenheiro civil do CEFET, André Leite Guerra.

Para o promotor Dr. Sidnei Boccia esse modelo contempla o que foi exigido no Termo de Ajustamento de Conduta firmado com o Ministério Público em 2005 e homologado judicialmente. “O TAC tem como premissa que este novo processo licitatório não trabalhe com a exclusividade”.

A menor tarifa apresentada para cada área será o quesito principal para a escolha das novas empresas. E os estudos apontaram que para se ter o equilíbrio financeiro do contrato é indicada uma concessão de 15 anos. “O transporte é algo dinâmico, os anseios da população devem ser equalizados com as propostas técnicas”, ressaltou a advogada Rosângela Ribeiro Melo, especialista em Transporte Público e que integra a equipe do CEFET.

Integração das linhas

O novo projeto também prevê mudanças  na configuração das linhas. Hoje as 48 linhas de ônibus saem dos bairros sentido centro (linhas radiais) e no projeto os especialistas orientam que sejam articuladas linhas diametrais que ligariam dois bairros passando pelo centro. E até mesmo linhas diretas entre diferentes regiões, como funcionava antes a linha Ponte Petra/Ponte Coberta ligando a zona leste a oeste. “Com essa nova dinâmica e com o bilhete eletrônico vamos conseguir implantar a tão desejada integração.”, explicou o engenheiro civil, André Leite Guerra.

Acessibilidade e modernidade

A acessibilidade no transporte público foi um tema levantado pela população que participou da audiência. O presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, Márcio Scherma, pediu garantias e deu sugestões “Precisamos de uma melhor qualidade na prestação do serviço e que os pontos de ônibus tenham a listagem das linhas em braille”.

A possibilidade de termos ônibus elétricos também foi questionada pela população. Foi explicado que neste momento a viabilidade disso é complexa e cara, portanto, como a tarifa tem que ser a mais barata possível, por enquanto, não seria viável.

Mas a advogada Rosângela fez questão de dizer que isso é possível dentro do novo projeto de concessão. “O projeto prevê a inclusão de novas tecnologias. Por se tratar de uma tecnologia moderna e sustentável ambientalmente, e havendo viabilidade, não será complicado implementar isso na cidade”.

Meio passe para todos universitários

Outro ponto sensível e que está assegurado no novo projeto é o direito a meia passagem a todos os estudantes. Hoje, universitários, salvo algumas linhas especiais para a PUC e estudantes do ensino técnico, não têm o direito a meia passagem. “Eu que sou estudante do curso técnico de enfermagem do SENAC, fico feliz de saber disso. Vai fazer toda a diferença para mim e para outros estudantes. Vamos poder destinar essa economia em livros, cópias e tantas outras demandas que temos no dia a dia”, declarou o estudante Felipe Teodoro Gonçalves.

Novo contrato sai em outubro

O contrato licitatório com a atual empresa vence no dia 26 de novembro. Todas as críticas e sugestões vão ser avaliadas antes da prefeitura publicar o edital da concessão de transporte de passageiros em outubro, e em seguida inicia-se o processo licitatório. “O tempo é exímio, mas estamos dentro do prazo”, lembrou o promotor  Sidnei Boccia.

O poder executivo, representado pelo secretário de Governo, Celso Donato e o secretário de Defesa Social, Rafael Conde, saiu satisfeito diante de tamanha participação popular de cidadãos, usuários do transporte, trabalhadores do setor e representantes de conselhos e entidades de Poços de Caldas. “É fundamental esse encontro com os anseios da população para termos um transporte mais eficaz para todos”, ressaltou, o secretário de Defesa Social.

Para o secretário de Governo a audiência pública cumpriu seu papel efetivamente “ A participação popular contribui para fazermos uma licitação transparente e cooparticipativa visando um serviço de transporte coletivo de qualidade para os poços-caldenses”, finalizou Donato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este site está protegido.