Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.

Turismo com charretes é discutido em reunião na Fepasa

Os charretistas, por meio da Associação dos Condutores de Veículos de Tração Animal, participaram de uma reunião com o secretário de Turismo, Ricardo Fonseca, na tarde desta quinta-feira, 19, na antiga Fepasa. Este foi o primeiro encontro entre a categoria e o titular da pasta.

Maus tratos e turismo foram discutidos durante a reunião – foto Poçoscom.com/Roni Bispo

Entre os assuntos discutidos na reunião estavam a importância das charretes como fomento do turismo em Poços de Caldas e também a questão dos maus tratos aos animais.

O presidente da Associação, Francisco Carlos Rodrigues, rebateu as críticas que os charretistas vêm sofrendo sobre os maus tratos praticados contra os animais. Segundo o presidente, atualmente a associação conta com 48 integrantes e todos são obrigados a ter 3 cavalos, para que seja feito o rodízio e respeitado o descanso dos animais. “É obrigatório cada charretista ter 3 cavalos para que não haja o desgaste físico do animal e, consequentemente, a exaustão. Se o condutor vier trabalhar com o mesmo cavalo por dois dias, a fiscalização não permite e, no ato, o charretista já é punido com suspensão de 15 dias. Os animais têm acompanhamento de veterinário e as vacinas estão em dia,” destacou Rodrigues.

O presidente ainda disse que os charretistas são vistos como pessoas que maltratam os cavalos, mas o que acontece é justamente o contrário. Ele confessa que pode acontecer algum caso isolado e que este charretista é punido de acordo com o regimento da associação. “Infelizmente este charretista que extrapola, mancha o nome da associação e acaba prejudicando os demais condutores que andam corretamente e não maltratam os animais”, disse o presidente.

Sobre a possibilidade do fim do turismo com charretes, o secretário de Turismo, Ricardo Fonseca,  adiantou que esta questão precisa ser discutida por toda população e não cabe à Secretaria de Turismo. “Hoje foram discutidas várias situações desde as mais polêmicas. Tudo tem que ser discutido. Temos o tradicionalismo de mais de 100 anos de charrete, porém existe a urbanização que vem aumentando, a quantidade de trânsito no centro. Uns dizem que atrapalha, já outros não.  É tudo questionável. A gente está aqui para fazer a melhor coisa possível em detrimento não somente do turismo como a saúde dos animais e o trânsito, mas a gente precisa conversar,” ponderou o secretário.

Beatriz Lotufo, que participou da reunião como representante da sociedade civil, defende a manutenção das charretes, pois entende que é uma fonte de renda para os condutores e também é uma atração praticada em cidades turísticas mundo a fora e Poços de Caldas não pode ficar sem este atrativo. Ela é uma das moradoras no entorno da Praça Getúlio Vargas, onde as charretes ficam estacionadas ao longo do dia.

Outra questão abordada na reunião foi o trânsito. A coordenadora de Transportes do Demutran, Denise Carvalho, disse que o Demutran registrou muitas infrações de trânsito por parte dos condutores das charretes em 2017 e que foram emitidas advertências para amenizar o problema. Ela espera que o diálogo com a diretoria da associação ajude a diminuir os problemas causados no tráfego.

Também participaram da reunião a ex-vereadora Maria José de Souza, a Tita e o vereador Álvaro Cagnani. Os dois se comprometeram a acompanhar a situação dos charretistas, no intuito de trazer melhorias para o setor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *