Câmara aprova requerimento sobre o fim do prazo de proibição do corte de energia

A chegada do fim do prazo determinado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) de proibição do corte de energia elétrica dos consumidores inadimplentes residenciais e rurais, já tem preocupado parte da população.

O requerimento foi aprovado durante a sessão da Câmara – foto Poçoscom.com

Procurado por moradores, o vereador Antônio Carlos Pereira (DEM) apresentou um requerimento solicitando mais informações sobre o assunto e também sobre o fornecimento de energia durante a pandemia de Covid-19. A medida vigora até esta sexta-feira, dia 31 de julho de 2020.

A proibição do corte de energia elétrica foi aprovada pela ANEEL em março deste ano, pelo prazo de 90 dias, como forma de auxiliar a população no enfrentamento da pandemia. No mês de junho, o prazo foi prorrogado pela agência para o dia 31 de julho, já que, na maioria dos estados brasileiros, as ações de isolamento e distanciamento social para evitar a prorrogação do vírus continuam.

Com o fim do prazo nesta sexta-feira (31), o vereador resolveu apresentar um pedido de informações questionando a DME Distribuição sobre os débitos dos consumidores contraídos durante a pandemia e como  poderão quitá-los sem que haja prejuízo. “Como a partir do dia 1ºde agosto o DME poderá voltar a cortar o fornecimento de energia elétrica para os consumidores inadimplentes, nós estamos apresentando alguns questionamentos, indagando se haverá um programa de parcelamento e de que forma poderá ser feito. Eu acredito que o DME trabalhará nesse sentido, porque a pandemia continua causando problemas, transtornos e prejuízos para todos, e ainda há muito desemprego. Na minha opinião, o DME deveria ter um programa de parcelamento e deveria informar os seus consumidores para que todos possam quitar seus débitos e não ter o aborrecimento de um corte de energia elétrica,” pondera.

O vereador indaga ainda qual o valor total das contas em atraso após o início das normas estabelecidas pela ANEEL, tanto de consumidores residenciais, quanto de comerciais e industriais. Ele destaca que esta é uma questão de extrema relevância para a população e espera que a empresa apresente uma solução rápida aos consumidores. “Eu acredito que o DME, por ser uma empresa local, do nosso município, tem um compromisso com a nossa população, então, eu acho que os dirigentes do departamento, seus diretores, todos farão o possível para que a população tenha as devidas informações e também para estabelecer, dentro da forma legal, a melhor forma de receber essas contas em atraso,” finaliza Pereira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site está protegido. Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize as ferramentas de compartilhamento da página.